sábado, 22 de novembro de 2014

Oscar Schmidt gera polêmica durante palestra para universitários em Caruaru-PE





Oscar Schmidt se envolve em polêmica ao dar palestra para universitários

Ex-jogador de basquete teria sido indelicado com universitários em cidade pernambucana

Fonte: O DIA
Pernambuco - Um dos maiores nomes da história do basquete nacional, o ex-jogador Oscar Schmidt se envolveu em uma polêmica no último fim de semana. Convidado para dar uma palestra na cidade pernambucana de Caruaru, o ídolo teria sido grosseiro com o público, formado por cerca de dois mil estudantes de uma faculdade particular da cidade. Segundo os estudantes, Oscar teria reclamado das condições oferecidas pela universidade, provocando uma grande 'fuga' dos alunos, que não decidiram não assistir a palestra até o seu final.



Uma estudante de Letras da universidade também reclamou da condução do evento. Ela fez um texto e publicou em uma rede social. Segundo ela, “a palestra foi uma total baixaria, chamou vários palavrões, insultou e humilhou a plateia em todos os momentos, reclamava o tempo todo com as pessoas que estavam tirando fotos dele dizendo que estava ali para contar a história dele e não para ser fotografado, pois quem quisesse tirar foto dele poderia ir embora. Enfim, só presenciei apenas 15 minutos de palestra, pois eu e mais centenas de pessoas nos retiramos dali, pois esses poucos minutos foram o suficiente para transformar aquele momento de satisfação e de aprendizado em ódio. Pois em minutos aquele tão desejado palestrante nos mostrou pessoalmente o seu lado mal educado, torpe, grosso, sem escrúpulos”.
Grande atleta, famoso por não esconder suas emoções, Oscar teve problemas sérios de saúde nos últimos anos. Há quem diga, nas redes sociais, que seu comportamento incomum, durante a palestra em Pernambuco, pode ter sido causado por algum efeito de medicamento.
A universidade emitiu uma nota pedindo desculpas aos alunos que pagaram para assistir à palestra e lamentando o comportamento do ex-jogador. O departamento de marketing da unidade de ensino informou que a escolha de Oscar para ministrar a palestra foi baseada em outras ações feitas por ele em outras instituições de ensino e que “jamais se esperaria o tipo de comportamento adotado por ele diante do público”.

A assessoria do jogador não se manifestou a respeito do assunto. 

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Enfim... Voltei!!!

Bem meus amigos!!! Em primeiro lugar peço mil desculpas por ter largado o blog... Mas como vocês já devem saber... Casei, Gravei CD, Passei por umas empresas, engordei... E agora tô de volta na área... Aguardem pois a partir de amanhã vamos retomar com tudo :D Abraço a todos e pra quem quer saber por onde andei por esses tempos e só acessar (www.facebook.com/lazaromaxuelofficial) :D #Boanoite e otima sexta a todos!!!!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Noticias do dia.

Edições Anteriores
13/11/2011

Jornal do Commercio
Economia
13/11/2011


SUAPE
Os vizinhos dos estaleiros
Famílias diretamente afetadas por grandes investimentos ainda aguardam solução do governo

Quando percebe a presença da reportagem do JC na Ilha de Tatuoca, no Porto de Suape, o pescador Biu dispara, emburrado: “Não aguento mais filmagem aqui. Os anos passam e tá tudo a mesma coisa. O governo não faz nada”. A descrença, que resvala sobre nossa equipe, é o resultado de promessas descumpridas. Desde 2007, o governo de Pernambuco garantiu que construiria a agrovila Nova Tatuoca para remover a comunidade de pescadores e permitir a implantação de um polo naval na ilha. A diretoria do complexo aprovou um novo plano diretor, dedicando 600 hectares de terra para os estaleiros, mas não conseguiu resolver o imbróglio com os ilhéus. Hoje, eles convivem com o Atlântico Sul em seu quintal e, agora, com a obra do Promar.

O projeto do condomínio foi marcado por uma série de entreveros. O primeiro desafio foi convencer os moradores a deixarem o local que habitam há quatro gerações para ocupar uma vila com 51 casinhas de gesso. Depois, o projeto sofreu mudança de endereço. O primeiro terreno escolhido para abrigar as residências era local de uma obra de saneamento da Secretaria de Turismo. Uma segunda área foi identificada e o posseiro exigiu um valor de indenização que Suape se recusava a pagar. Para completar o longo folhetim, a Agência de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH) identificou que uma parte do terreno ficava dentro de uma área de preservação ambiental (APA) e embargou a obra.


Resultado: a obra está parada desde 2009 e o governo vai precisar jogar fora o dinheiro que investiu numa primeira terraplenagem e fazer uma segunda obra. A defasagem também vai exigir que o valor do projeto, orçado inicialmente em R$ 2,8 milhões, seja recalculado. “A CPRH percebeu que uma franja do aterro de um metro da terraplenagem estava dentro da APA e exigiu que o projeto fosse refeito”, explica o diretor e Planejamento e Urbanismo de Suape, Jaime Alheiros. A nova estimativa é que a obra seja iniciada em nove meses. Uma mudança no projeto será a troca das casas de gesso por alvenaria ou cimento armado, atendendo a uma reivindicação das famílias de Tatuoca.


“Não consigo entender como a CPRH aprova a derrubada de mangue e de mata atlântica para construir os estaleiros, mas empombou com a construção da agrovila por conta de um metro de terra. O governo moveu céu e terra pra aprovar a lei de supressão vegetal e colocar os estaleiros aqui, mas passa quatro anos para resolver o problema dos pescadores”, reclama o presidente da Associação de Moradores da Ilha de Tatuoca”, Edson Silva.


Questionada pela reportagem do JC sobre o embargo à agrovila, a CPRH se limitou a responder, por meio de sua assessoria de comunicação, que “está no aguardo da entrega, por parte do empreendedor (SUAPE), de uma adequação do projeto, de maneira a viabilizar a sustentabilidade da intervenção pretendida”.

A demora na construção do condomínio também impôs outro desafio ao governo do Estado. Em quatro anos, o número de famílias cresceu. Antes eram 51 e agora são 72. “As pessoas casaram, tiveram filhos e construíram suas casas”, diz Edson. A diretoria de SUAPE ingressou na Justiça com pedido de reintegração de posse para essas residências.

A construção do Estaleiro Promar coloca em xeque a permanência de 12 casas diretamente impactadas pela obra. Os moradores reclamam que as dragagens realizadas no local escasseou a pesca, fez sumir a água das cacimbas e aumentou o percurso que os moradores precisam fazer para sair da ilha. Alheiros nega que a dragagem tenha influência sobre as cacimbas e diz que a estrada em construção no local foi um pedido dos moradores. “A dragagem não interfere no lençol freático. Esse problema da água deve ser um fenômeno natural”, defende. Discussões técnicas à parte, o diretor de Suape admite que a presença de dois estaleiros na “cozinha” dos ilhéus é inadequada, por se tratar de uma atividade de indústria pesada incompatível com uma vizinhança residencial.

domingo, 13 de novembro de 2011

Aline Barros da MK Music ganha Grammy Latino 2011


Publicado por Shaiala Marques em 11 de novembro de 2011 (Gnoticias - Gospel+)



A cantora gospel Aline Barros foi premiada com o Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa” por “Extraordinário Amor de Deus”. O álbum, que foi o único trabalho de música evangélica indicado, recebeu recentemente o disco de diamante.

A cerimônia de premiação ocorreu ontem (10) em Las Vegas, Estados Unidos. Por ter recentemente dado a luz à sua pequena Maria Catherine, o esposo da cantora, o pastor Gilmar Santos, foi representá-la na cerimônia.

Gilmar falou em um belo espanhol um agradecimento a Deus, à gravadora MK Music, à igreja onde o casal congrega e seus pastores, aos seus pequenos filhos e, é claro, à Aline – que disse não ser apenas uma cantora, mas uma grande mulher de Deus.

Esta foi a quinta indicação da cantora ao Grammy Latino e a quarta vez em que leva o prêmio para casa.

Veja no link abaixo o vídeo do momento em que Aline Barros é declarada vencedora do Grammy Latino:



Fonte: Gospel+
Com informações e vídeo de MK Music

sábado, 12 de novembro de 2011

Estados Unidos reafirmam oficialmente a frase “Em Deus confiamos” como lema do país





Publicado por Renato Cavallera em 12 de novembro de 2011 (Gospel+)


A frase “In God We Trust” (Em Deus Confiamos) tem causado controvérsia ao longo dos anos como o lema nacional. Mas na terça-feira, o Congresso dos EUA aprovou, por 396 a 9, uma resolução que autoriza a permanência da frase como lema nacional.

A resolução, liderada pelo deputado J. Randy Forbes (R-VA), apoia e incentiva exibir o lema, em todas as escolas públicas e edifícios governamentais. É uma resolução simultânea, porque em 2006 o Senado aprovou uma resolução similar para os 50 aniversário do lema “In God We Trust” como sendo de domínio nacional.

Forbes, co-presidente do Congresso Oração Caucus(foto), disse em um comunicado segunda-feira: “Amanhã, a Câmara dos Deputados terá a mesma oportunidade para reafirmar o nosso lema nacional e confrontar diretamente uma tendência preocupante de imprecisões e omissões, mal-entendidos entre Igreja e Estado , ante aos esforços para remover Deus do domínio público por burocratas não eleitos.

À medida que nossa nação enfrenta tempos difíceis, é apropriado para membros do Congresso da nossa nação-como nossos antecessores declarar com firmeza a nossa confiança em Deus, acreditando que ele vai nos sustentar para as gerações vindouras”, acrescentou.

Forbes afirmou que, “em tempos de desafio nacional ou tragédia, o povo dos Estados Unidos voltaram-se para Deus como sua fonte de sustento, proteção, força, sabedoria e direção.”

O lema nacional já foi contestada antes. Em 1994, a Freedom From Religion Foundation (Fundação em defesa da religião). ajuizou ação questionando a frase como lema da nação e seu uso em moeda. A ação foi julgada improcedente em razão de que “In God We Trust” não é uma frase religiosa. A organização ateu recorreu da decisão no Supremo Tribunal dos EUA em 1996, mas o tribunal não revogou a decisão.

A frase tornou-se oficialmente o lema nacional em 1956. Ela começou a aparecer em papel-moeda no ano seguinte, mas “In God We Trust” apareceu pela primeira vez em moedas dos EUA em 1864 durante a Guerra Civil.




Fontes: O Diário / Gospel+