quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Segurança no Trabalho - Normas Regulamentadoras (NR's)







Bem as NR's são a ''biblia'' do técnico de segurança no trabalho e hoje deixo esse post sobre esse tão falado livro de nossa área.

As Normas Regulamentadoras, também conhecidas como NRs, regulamentam e fornecem orientações sobre procedimentos obrigatórios relacionados à medicina e segurança no trabalho no Brasil. Como anexos da Consolidação das Leis do Trabalho, são de observância obrigatória por todas as empresas.

Normas Regulamentadoras

São as seguintes as Normas Regulamentadoras, com um resumo de seu conteúdo:
NR 1 Disposições Gerais
As Normas Regulamentadoras (NRs) são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos de administração direta e indireta, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho - (CLT). Estabelece a importância, funções e competência da Delegacia Regional do Trabalho.
NR 2 Inspeção Prévia
Todo estabelecimento novo, antes de iniciar suas atividades, deverá solicitar aprovação de suas instalações ao órgão do Ministério do Trabalho.
NR 3 Embargo ou Interdição
A Delegacia Regional do Trabalho, à vista de laudo técnico do serviço competente que demonstre grave e iminente risco para o trabalhador, poderá interditar estabelecimento, setor de serviço, máquina ou equipamento, ou embargar a obra. (CLT Artigo 161 inciso 3.6|3.4|3.7|3.8|3.9|3.10)
NR 4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho
A NR 4 diz respeito aos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT)e tem como finalidade promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador em seu local de trabalho. Para oferecer proteção ao trabalhador o SESMT deve ter os seguintes profissionais: médico do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho, enfermeiro, técnico de segurança no trabalho, auxiliar de enfermagem, tem por atividade dar segurança aos trabalhadores através do ambiente de trabalho que inclui máquinas e equipamentos, reduzindo os riscos a saúde do trabalhador, verificando o uso dos EPIs, orientando para que os mesmos cumpram a NR, e fazendo assim com que diminuam os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais.
O SESMT tem por finalidade promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador no seu ambiente de trabalho, portanto, torna-se um trabalho que tem por objetivo a prevenção de acidentes tanto de doenças ocupacionais. Trata-se de trabalho preventivo e de competência dos profissionais citados acima, com aplicação de conhecimentos de engenharia de segurança e de medicina no ambiente de trabalho para reduzir ou eliminar os riscos à saúde dos trabalhadores. Cabe ao SESMT orientar os trabalhadores quanto ao uso dos equipamentos de proteção individual e conscientizá-los da importância de prevenir os acidentes e das forma de conservar a saúde no trabalho. É também de responsabilidade do SESMT o registro dos acidentes. (CLT - Artigo 162 inciso 4.1|4.2|4.8.9|4.10)
NR 5 CIPA
As empresas privadas, públicas e órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CLT Artigo 164 Inciso 5.6|5.6.1|5.6.2|5.7|5.11 e Artigo 165 inciso 5.8)A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.
NR 6 Equipamento de Proteção Individual
Para os fins de aplicação desta NR, considera-se EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricação nacional ou estrangeira, destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados gratuitamente. (CLT - artigo 166 inciso 6.3 subitem A - Artigo 167 inciso 6.2)
NR 7 Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
Esta NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO, cujo objetivo é promover e preservar a saúde do conjunto dos seus trabalhadores.
NR 8 Edificações
Esta NR estabelece requisitos técnicos mínimos que devam ser observados nas edificações para garantir segurança e conforto aos que nelas trabalham.
NR 9 Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
Esta NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho.
NR10 Serviços em Eletricidade
Esta NR fixa as condições mínimas exigidas para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações elétricas, em suas etapas, incluindo projeto, execução, operação, manutenção, reforma e ampliação e ainda, a segurança de usuários e terceiros.
NR 11 Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais
Esta NR estabelece normas de segurança para operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras. O armazenamento de materiais deverá obedecer aos requisitos de segurança para cada tipo de material.
NR 12 Máquinas e Equipamentos
Esta NR estabelece os procedimentos obrigatórios nos locais destinados a máquinas e equipamentos, como piso, áreas de circulação, dispositivos de partida e parada, normas sobre proteção de máquinas e equipamentos, bem como manutenção e operação.
NR 13 Caldeiras e Vasos de Pressão
Esta NR estabelece os procedimentos obrigatórios nos locais onde se situam as caldeiras de qualquer fonte de energia, projeto, acompanhamento de operação e manutenção, inspeção e supervisão de inspeção de caldeiras e vasos de pressão, em conformidade com a regulamentação profissional vigente no país.
NR 14 Fornos
Esta NR estabelece os procedimentos mínimos, fixando construção sólida, revestida com material refratário, de forma que o calor radiante não ultrapasse os limites de tolerância, oferecendo o máximo de segurança e conforto aos trabalhadores.
NR 15 Atividades e Operações Insalubres
Esta NR estabelece os procedimentos obrigatórios, nas atividades ou operações insalubres que são executadas acima dos limites de tolerância previstos na Legislação, comprovadas através de laudo de inspeção do local de trabalho. Agentes agressivos: ruído, calor, radiações, pressões, frio, umidade, agentes químicos.
NR 16 Atividades e Operações Perigosas
Esta NR estabelece os procedimentos nas atividades exercidas pelos trabalhadores que manuseiam e/ou transportam explosivos ou produtos químicos, classificados como inflamáveis, substâncias radioativas e serviços de operação e manutenção.
NR 17 Ergonomia
Esta NR visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.
NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
Esta NR estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na indústria da construção.
NR 19 Explosivos
Esta NR estabelece o fiel cumprimento do procedimento em manusear, transportar e armazenar explosivos de uma forma segura, evitando assim riscos e acidentes
NR 20 Líquidos Combustíveis e Inflamáveis
Esta NR estabelece a definição para líquidos combustíveis, líquidos inflamáveis e Gás de petróleo liquefeito, parâmetros para armazenar, como transportar e como devem ser manuseados pelos trabalhadores.
NR 21 Trabalhos a céu aberto
Esta NR estabelece os critérios mínimos para os serviços realizados a céu aberto, sendo obrigatória a existência de abrigos, ainda que rústicos com boa estrutura, capazes de proteger os trabalhadores contra intempéries.
NR 22 Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração
Esta NR estabelece sobre procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho em minas, determinando que a empresa adotará métodos e manterá locais de trabalho que proporcionem a seus empregados condições satisfatórias de Segurança e Medicina do Trabalho.
NR 23 Proteção contra incêndios
Esta NR estabelece os procedimentos que todas as empresas devam possuir, no tocante à proteção contra incêndio, saídas de emergência para os trabalhadores, equipamentos suficientes para combater o fogo e pessoal treinado no uso correto.
NR 24 Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho
Esta NR estabelece critérios mínimos, para fins de aplicação de aparelhos sanitários, gabinete sanitário, banheiro, cujas instalações deverão ser separadas por sexo, vestiários, refeitórios, cozinhas e alojamentos..
NR 25 Resíduos Industriais
Esta NR estabelece os critérios que deverão ser eliminados dos locais de trabalho, através de métodos, equipamentos ou medidas adequadas, de forma a evitar riscos à saúde e à segurança do trabalhador.
NR 26 Sinalização de Segurança
Esta NR tem por objetivos fixar as cores que devam ser usadas nos locais de trabalho para prevenção de acidentes, identificando, delimitando e advertindo contra riscos.
NR 27 Registro Profissional do Técnico de Segurança do Trabalho no Ministério do Trabalho
Esta NR estabelece que o exercício da profissão depende de registro no Ministério do Trabalho, efetuado pela SSST, com processo iniciado através das DRT.
Esta NR foi revogada de acordo com a PORTARIA Nº 262 DE 29 DE MAIO DE 2008 (DOU de 30 de maio de 2008 – Seção 1 – Pág. 118). De acordo com o Art. 2º da supracitada DOU, o registro profissional será efetivado pelo Setor de Identificação e Registro Profissional das Unidades Descentralizadas do Ministério do Trabalho e Emprego, mediante requerimento do interessado, que poderá ser encaminhado pelo sindicato da categoria. O lançamento do registro será diretamente na Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS.
NR 28 Fiscalização e Penalidades
Esta NR estabelece que Fiscalização, Embargo, Interdição e Penalidades, no cumprimento das disposições legais e/ou regulamentares sobre segurança e saúde do trabalhador, serão efetuados obedecendo ao disposto nos decretos leis.
NR 29 Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário
Esta NR regulariza a proteção obrigatória contra acidentes e doenças profissionais, alcançando as melhores condições possíveis de segurança e saúde dos trabalhadores que exerçam atividades nos portos organizados e instalações portuárias de uso privativo e retroportuárias, situadas dentro ou fora da área do porto organizado.
NR 30 Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho Aquaviário
Esta norma aplica-se aos trabalhadores das embarcações comerciais, de bandeira nacional, bem como às de bandeiras estrangeiras, no limite do disposto na Convenção da OIT n.º 147 - Normas Mínimas para Marinha Mercante, utilizados no transporte de mercadorias ou de passageiros, inclusive naquelas utilizadas na prestação de serviços, seja na navegação marítima de longo curso, na de cabotagem, na navegação interior, de apoio marítimo e portuário, bem como em plataformas marítimas e fluviais, quando em deslocamento.
NR 31 Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura
Esta NR tem por objetivo estabelecer os preceitos a serem obervados na organização e no ambiente de trabalho, de forma a tornar compatível o planjamento e o desenvolvimento das atividades da agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal e aqüicultura com a segurança e saúde e meio ambiente do trabalho.
Para fins de aplicação desta NR considera-se atividade agro-econômica, aquelas que operando na transformação do produto agrário, não altere a sua natureza, retirando-lhe a condição de matéria prima.
NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Saúde
Esta Norma Regulamentadora tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.
Para fins de aplicação desta NR, entende-se como serviços de saúde qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, e todas as ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e ensino em saúde em qualquer nível de complexidade.
A responsabilidade é solidária entre contratante e contratado quanto ao cumprimento da NR 32. A conscientização e colaboração de todos é muito importante para prevenção de acidentes na área da saúde.
As atividades relacionadas aos serviços de saúde são aquelas que, no entendimento do legislador, apresentam maior risco devido à possibilidade de contato com microorganismos encontrados nos ambientes e equipamentos utilizados no exercício do trabalho, com potencial de provocar doenças nos trabalhadores.
Os trabalhadores diretamente envolvidos com este agentes são: médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, atendentes de ambulatórios e hospitais, dentistas,limpeza e manutenção de equipamentos hospitalar, motoristas de ambulância, entre outros envolvidos em serviços de saúde.
NR 33 - Segurança e Saúde no Trabalho em Espaços Confinados
Esta NR tem por objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores eque interagem direta ou indiretamente neste espaços.
Espaço confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.
NR 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval
Esta NR trata de nove procedimentos de trabalhos executados em estaleiros: trabalho a quente; montagem e desmontagem de andaimes; pintura; jateamento e hidrojateamento; movimentação de cargas; instalações elétricas provisórias; trabalhos em altura; utilização de radionuclídeos e gamagrafia; e máquinas portáteis rotativas.

''Bem espero ter ajudado... forte abraço a todos e mãos a obra...''

Fonte: Winkipédia

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

A maldição do amianto








REVISTA ÉPOCA - Edição 152 16/04/2001
DENÚNCIA


Condenados pela fibra cancerígena, centenas de ex-trabalhadores da Eternit e da Brasilit lutam por indenizações na Justiça

Eliane Brum (texto) e Raphael Falavigna (fotos)
Sebastião Alves da Silva, de 64 anos, exibe na penteadeira do quarto uma fotografia em que aparece dançando com a esposa, Irene. Gosta de mostrar o retrato às visitas. É a prova do tempo em que respirar era um ato normal para o ex-operário da Brasilit. Sebastião não pode mais dançar. Caminha com dificuldade, mesmo por poucos metros. Tosse a cada passo. Perdeu uma fatia do pulmão esquerdo, retirada com um tumor cancerígeno há dois anos. Faz exames a cada três meses para rastrear uma possível metástase. Tem asbestose, doença que vai endurecendo o pulmão até transformá-lo em pedra. Mal lento, progressivo, incurável. Padeceu de tuberculose, teve quatro pneumonias. Sebastião é uma das centenas de brasileiros vítimas do amianto. Luta na Justiça, ao lado de 300 trabalhadores que movem ações contra a Brasilit e a Eternit – ligadas à francesa Saint-Gobain, gigante que domina mais de 50% do mercado brasileiro da fibra maligna.

A guerra do exército dos vencidos pelo amianto foi viabilizada pela incorporação de uma paulista de Ribeirão Preto decidida a desempenhar corretamente suas funções. Aos 43 anos, Fernanda Giannasi, auditora fiscal do Ministério do Trabalho, tornou-se o símbolo da luta pelo banimento do mineral cancerígeno no Brasil. Ao debruçar-se sobre os efeitos da fibra no exercício da profissão, Fernanda descobriu Sebastião.

Fernanda deparou também com Severino, Antônio, João Batista e centenas de outros operários acuados pela falta de ar e pelo medo. Poderia ter passado ao largo do drama, mas decidiu enfrentá-lo. O preço que paga por desafiar interesses econômicos portentosos é alto: ameaças de morte, perseguições fora e dentro do trabalho, interrogatórios por arapongas a serviço da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Recorre a antidepressivos, prepara-se para extirpar o terceiro tumor, entrou precocemente na menopausa. Mais respeitada no Exterior que no Brasil, é vista nos Estados Unidos e na Europa como uma versão tropical de Erin Brockovich, personagem que valeu a Julia Roberts o Oscar de melhor atriz de 2000. Em 1993, Erin, uma funcionária curiosa de um obscuro escritório de advocacia, topou o duelo com a Pacific Gas and Electric e ganhou a maior ação direta numa corte americana. A luta de Fernanda e das vítimas do amianto ainda está sendo travada. E longe do fim.

O amianto – ou asbesto – foi um dos minerais mais utilizados pela indústria durante o século passado. Está em caixas-d’água, lonas e pastilhas de freio dos carros, telhas e pisos, tintas e tecidos antichamas. Tão resistente quanto o aço, é imune ao fogo. A Brasilit e a Eternit foram as duas principais fábricas que desembarcaram no Brasil no final dos anos 30. Empregavam famílias inteiras em Osasco e São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. A corrente que um dia foi motivo de júbilo tece hoje uma trama de sofrimento e morte.

O mineral cancerígeno foi banido de 21 países, entre os quais a França e a Itália. No Brasil, quarto produtor mundial, está proibido em cinco cidades paulistas – Mogi-Mirim, São Caetano do Sul, Osasco, São Paulo e Bauru – e em Mato Grosso do Sul. O ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, anunciou que até 2003 a fibra seria proibida em todo o território nacional. Na semana passada, achou mais confortável transferir a decisão para o Congresso. Os interesses em jogo movem tanto empresários do setor quanto o tucano Marconi Perillo, governador de Goiás, que abriga a única mina de amianto da América Latina. Outro forte adversário do banimento é Carl Sweet, diretor-presidente da Sano, indústria que produz telhas e caixas d’água no Rio de Janeiro. “O uso do amianto deve ser controlado, e não banido”, diz. “Em nossa empresa, trabalhamos com risco zero.”

Quando o Brasil se decidir a trocar o material por fibras sintéticas, terá de planejar a substituição do amianto existente em 70% das casas. O pó que se desprende dos equipamentos pode, se inalado, alojar-se no organismo e disseminar doenças. Ao contrário do que os representantes da indústria têm repetido, o efeito cancerígeno do amianto foi diagnosticado há quase um século, em 1906, pelo médico francês Armand Auribault. Os males causados pela fibra podem levar de 15 a 50 anos para se manifestar. “Ainda que o amianto seja banido do Brasil, o pior está por vir”, afirma Eduardo Algranti, pneumologista da Fundacentro, órgão do Ministério do Trabalho. “A medicina vai ter muito trabalho nas próximas décadas.” Mesmo na indústria, há poucas dúvidas de que o material cancerígeno venha a ser extirpado do país. A presidente da Associação Brasileira do Amianto, Maria Cecília de Mello, considera irreversível a substituição do mineral. “Discutir se o amianto faz ou não mal à saúde é uma questão ultrapassada”, diz. “Se o mundo inteiro deixar de consumir a fibra, não teremos a quem vendê-la.”

Para operários como Sebastião, a batalha tem por objetivo garantir-lhes um fim de vida digno enquanto tentam adiar o desfecho. Ele trabalhou 29 anos com o produto na antiga fábrica da Brasilit, em São Caetano do Sul, no ABC Paulista. Entrou lá com 16 anos, deixou-a ao aposentar-se. Em troca da saúde, a empresa lhe propôs R$ 15 mil e um plano de assistência médica. Sebastião recusou-os. “Trabalhava das 6 às 18 horas, de domingo a domingo, e batia no peito de orgulho por ser empregado da Brasilit”, conta. “Nunca me falaram que o amianto fazia mal. Uma manhã vieram aqui e me ofereceram essa indenização humilhante.” Vive da aposentadoria de R$ 350 e teme tombar antes de assistir ao fim da guerra. Como a maioria dos companheiros, Sebastião não sabe quando, mas sabe como vai morrer: amarrado a um tubo de oxigênio, sem ar. “Só quero morrer nesta casa, que é todo o patrimônio que tenho”, diz. O lar de Sebastião é revestido de amianto. Da mesma fibra é feito o assentamento da rua em que vive, um presente da fábrica que recebeu com gratidão. De amianto é a casa e o que restou do pulmão do operário.

Em 1983, Sebastião vivia o primeiro ano de aposentadoria. Depois de trabalhar por três décadas entre nuvens de asbesto, encerrara a jornada satisfeito por ter alcançado o ápice da carreira de operário: encarregado de seção. Recém-formada, a engenheira Fernanda Giannasi estava desiludida em outra ponta de São Paulo. Havia cursado o Instituto Politécnico de Ribeirão Preto para pesquisar novos materiais, mas não conseguia emprego.

Sem saída, inscreveu-se no concurso para o ministério. Foi aprovada. No primeiro dia, assustou-se com o cenário sonolento do local de trabalho. “Não vou tomar posse”, informou ao pai, que a acompanhava, preparando-se para dar meia-volta. Foi convencida a, pelo menos, tentar. O Brasil vivia a transição para a democracia e os novos fiscais estavam imbuídos da idéia de romper com a tradição do regime militar que colocava os funcionários do ministério a serviço das indústrias – e contra os sindicatos. Decidiram criar grupos para investigar as doenças do trabalhador. O empenho com que Fernanda se concentrou nos efeitos do amianto resultou num convite para o encontro internacional sobre as conseqüências nocivas da fibra realizado na Itália, em 1993. Ali, os participantes constataram que enfrentavam os mesmos gigantes do mercado mundial. No ano seguinte, 1994, foi organizado um seminário internacional em São Paulo. Formava-se a Rede Virtual Cidadã pelo Banimento do Amianto. Anunciava-se, para Fernanda e os operários, uma luta desigual.

DIREITOS HUMANOS - Morto pelo amianto

O ex-operário da Brasilit Sebastião Alves da Silva, símbolo internacional da luta contra a fibra cancerígena, perdeu sua última batalha

ELIANE BRUM (Revista Época, Globo)- Edição 336 - 25-10-2004

Fotos: (Rafael Falavigna)





Sebastião Alves da Silva parou de respirar às 23h20 da sexta-feira 15. Ele só tinha um pedaço do pulmão esquerdo, o resto tinha sido roubado pelo câncer. O que sobrou do órgão e todo o pulmão direito foi paralisando e endurecendo ao longo dos últimos anos numa doença chamada asbestose. Causada pela contaminação por amianto (asbesto), ela é conhecida como ''pulmão de pedra''. Havia 100 dias que Sebastião estava ligado 24 horas a máquinas de oxigênio. Tinha completado 66 dias de internação no Hospital das Clínicas, de São Paulo. Às 19 horas daquela sexta-feira, ele não conseguia falar. Ergueu a mão e acenou para a esposa, Irene. Sucumbiu quatro horas depois, quando os pulmões não conseguiram mais fazer o movimento de inspiração-expiração. Sebastião, então, morreu por asfixia. Acabara de completar 68 anos de idade e 46 de casamento.

Há três anos, Sebastião disse a Época: ''Eu sei que vou terminar minha vida amarrado a um tubo de oxigênio. Só não quero morrer me sentindo uma formiguinha'. Símbolo internacional da luta contra o asbesto, Sebastião não queria ser esmagado pelo poder das multinacionais do amianto. Suas últimas imagens estarão no documentário A Lenta Morte do Amianto, dedicado a ele pela TV franco-alemã Arte. No início deste mês, a Al Jazeera havia feito uma matéria sobre o operário para o mundo árabe. Ex-funcionário da Brasilit de São Caetano, em São Paulo, onde entrou adolescente e saiu aposentado, Sebastião tornou-se uma referência por sua quase inabalável resistência. ''Cada um que fizer acordo enfraquece a nossa luta'', dizia aos companheiros. Ele tinha vencido em ação na Justiça, mas a Brasilit recorreu. Em 29 de setembro, quando estava havia 50 dias no hospital e só conseguia balbuciar umas poucas palavras, fechou um acordo com a empresa por meio de seus advogados. No dia 8 deste mês, o recibo foi assinado. Morreu no mesmo dia em que o cheque de R$ 58 mil foi descontado no banco. A esposa diz que a parte da família foi de R$ 38 mil. A maior parcela do dinheiro foi consumida para pagar dívidas contraídas ao longo de seis anos de doença.

A Brasilit, que faturou R$ 260 milhões em 2003, substituiu o amianto como matéria-prima por fio de polipropileno. ''Pagamos ao Sebastião valor semelhante ao determinado pelo juiz e no plano de saúde avançamos ainda mais'', diz Carlos William Ferreira, diretor da Brasilit. ''Pela sentença, a empresa teria de pagar um plano apenas pelas doenças decorrentes do amianto, mas nós demos a ele um global. Se ele escorregasse e quebrasse o pé, poderia usar o plano de saúde.'' Sebastião não corria esse risco. Há anos ele já não conseguia dançar nos bailes da terceira idade que promovia, por falta de ar. Havia 21 dias não podia se mover. Diante do quadro, a empresa forneceu uma carteirinha de saúde com validade até 31 de dezembro. Ele teve uma semana para usá-la. Quem pagou os custos de sua doença foi o Sistema Único de Saúde. Pela política de indenizações da empresa, segundo Ferreira, o funcionário que abre mão do plano de saúde recebe R$ 100 mil.



CONTAMINADOS Operários da indústria do amianto, doentes, eles entraram com ação no Conar
Desde o dia 15, Sebastião passou a integrar uma lista de 128 ex-operários mortos por doenças causadas pela contaminação do asbesto - 49 com laudos terminados e 79 ainda não concluídos. Outros 638 ex-trabalhadores estão doentes. ''Esse acordo foi uma covardia da empresa'', diz Fernanda Giannasi, auditora fiscal do Ministério do Trabalho. ''Na iminência da perda, a família assina até papel em branco.''

Sebastião morreu num momento político crucial para a indústria do amianto. Desde maio, o governo federal constituiu uma comissão interministerial para decidir sobre o futuro da fibra no país. Os trabalhos deveriam estar encerrados em dezembro, mas a coordenação pediu prorrogação. ''Não há consenso no governo'', diz o coordenador, Domingos Lino. ''Os ministérios da Saúde, do Trabalho, da Previdência e do Meio Ambiente querem banir porque é cancerígeno, mas o de Minas e Energia e o do Desenvolvimento, Indústria e Comércio não.'' O amianto está banido em 42 países, a maioria deles do Primeiro Mundo.

Reunida no Instituto Brasileiro do Crisotila, a indústria do amianto iniciou no dia 7 uma campanha publicitária nacional no valor de R$ 4 milhões. O mote é ''Amianto crisotila. Respeitando a vida, fazendo o Brasil crescer''. Cerca de 95% do amianto mundial é da espécie crisotila. Todos os tipos são cancerígenos, segundo a International Agency on Research of Cancer, da Organização Mundial da Saúde. ''É possível o uso controlado, sem causar danos à saúde'', defende a presidente do instituto, Marina de Aquino. ''Não há registro de doenças ocupacionais nos trabalhadores admitidos a partir de 1980.''

A Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (Abrea), que abriga os trabalhadores contaminados, entrou com uma ação no Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) pedindo a suspensão da campanha. ''Já vi dezenas de operários morrer por causa do amianto. É criminoso usar uma fibra cancerígena porque é barata e tem mercado no mundo subdesenvolvido'', diz o pneumologista Ubiratan de Paula Santos, da Faculdade de Medicina da USP. ''Pesquisas comprovaram que não é possível proteger totalmente o trabalhador, mesmo com máscaras.''

Na última semana de vida de Sebastião, sempre que ia ao hospital visitá-lo, Irene via um outdoor da campanha: ''Se o amianto não faz mal, por que meu marido está morrendo?'', revoltava-se. Ela e Sebastião pertenciam ao que chamavam de ''grande família Brasilit''. O amianto impregna-se às lembranças de sua vida como aos alvéolos dos pulmões. Conheceram-se trabalhando na fábrica. O pai dela era operário e morreu de câncer no pulmão. O filho chegou a entrar na empresa. Parte da casa deles é de amianto. Até as cuecas de Sebastião eram feitas de sacos da fibra tingidos de azul. Ao ser enterrado, Sebastião levou nos pulmões cimentados o amianto que o matou lentamente.




O CAMINHO DO MAL
O amianto aloja-se no pulmão dos trabalhadores e, em 10% dos casos, leva à morte por asbestose
O pó de amianto é aspirado pelo nariz e pela boca durante o manuseio
A fibra acumula-se nos alvéolos. O pulmão inicia um processo de cicatrização permanente e vai endurecendo. A vítima tem falta de ar progressiva até morrer de asfixia. É o chamado ''pulmão de pedra''
Os operários do amianto têm 50 vezes mais chance de ter câncer de pulmão
98% dos casos de mesotelioma diagnosticados no mundo foram causados pelo amianto
A asbestose é incurável, progressiva e fatal. Leva de 15 a 25 anos para se manifestar e mata, em média, em cinco anos

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Resenha: DVD DDG Experience - Oficina G3











Por: Esdras Araújo (vulgo Sabóia)
Site: www.dotgospel.com

O mais novo DVD do Oficina G3, DDG Experience, é um registro que faz jus à competência da banda ao vivo. Gravado na Usina desativada de Santa Bárbara D’oeste, em Julho de 2009, num cenário que se encaixou perfeitamente à temática do álbum Depois da Guerra (lançado em 2008 e sucesso de público e crítica, tendo conquistado inclusive um Grammy Latino), o registro retrata de forma fidedigna toda a energia e interação presentes numa apresentação ao vivo da experiente e talentosa banda paulistana e consolida de vez sua nova formação.

O show é arrasador, com um repertório que conta com 18 músicas, verdadeiros petardos quando executadas ao vivo, baseado principalmente no álbum Depois da Guerra, executado na íntegra. Com uma excelente captação de imagem em HD, sob direção de Hugo Pessoa, feita por câmeras digitais RED, inúmeros recursos foram utilizados, com destaque para o travelling, no registro de imagens da bateria, o efeito bullet time, possibilitado pelas câmeras Sony Z7 posicionadas à frente do palco, a grua CamMate, que permitiu belas tomadas por trás do palco, entre outros e uma edição e fotografia primorosas. A ótima captação de som e mixagem 5.1 complementam o belo registro, capitaneadas pelos mesmos produtores do álbum DDG, Marcelo Pompeu e Heros Trench (Khorzus).

O show flui muito bem, transitando com naturalidade entre as faixas mais pesadas (maioria do setlist) e as baladas. A introdução D.A.G. traz na sequência, intercaladas, MEUS PRÓPRIOS MEIOS, MEUS PASSOS e EU SOU, mostrando logo de cara que a sonoridade da Oficina G3 se adequou muito bem ao som mais pesado explorado atualmente, com elementos de rock progressivo e outros gêneros, como o Metalcore.
O show continua com as igualmente pesadas ATÉ QUANDO?, MAIS ALTO, VER ACONTECER e OBEDIÊNCIA, com o vocal agressivo, técnico e cheio de drives de Mauro Henrique, muito bem em relação à presença de palco e interação com o público, mostrando uma nítida evolução desde sua entrada na banda, acompanhado pela guitarra virtuosa e encorpada de Juninho Afram, a guitarra base do competente Celso Machado, adicionadas ao baixo preciso e seguro de Duca Tambasco (muito bem nos backing vocals), à bateria arrebatadora de Alexandre Aposan, que rouba a cena durante todo o show e os arranjos dos teclados de Jean Carllos, com excelentes linhas melódicas e timbres, além de destacada contribuição vocal, com a agressividade que as músicas pedem.

Esta formação mostra muito entrosamento e dá as cartas nesse novo Oficina G3, que mergulha fundo no som pesado e funciona muito bem ao vivo. Após uma sequência de músicas mais calmas, com CONTINUAR, A ELE, INCONDICIONAL, PEOPLE GET READY e TUA MÃO, que demonstram a versatilidade da banda, o peso volta com força total ao longo das excelentes DE JOELHOS, BETTER, MUROS, DE OLHOS FECHADOS e DEPOIS DA GUERRA, com direito a um fenomenal solo de Juninho Afram e um belo encore com o refrão da clássica GOD GAVE ROCK AND ROLL TO YOU, da banda britânica Argent e imortalizada por bandas como Petra e Kiss, que fecha o show com classe.

Como nem tudo é perfeito, o DVD peca na sessão de EXTRAS, que conta com o Making Of do show, um curto depoimento da banda, o clipe de Incondicional e a Discografia (apenas com os álbuns da fase MK Music, atual gravadora da banda, esquecendo os álbuns gravados na já extinta gravadora Gospel Records).

Seria muito interessante a presença de um documentário, tendência que continua forte, mostrando o processo de gravação do álbum Depois da Guerra, a entrada de Mauro Henrique, que foi fundamental para a retomada da banda, bem como o já tão decantado clipe da música “Meus Próprios Meios”. Quem sabe no Blu-Ray, que em breve será lançado.

O Que a Bíblia Diz? Na parábola do joio, Jesus ensina que devemos tolerar pecadores na igreja?




Na parábola do joio (Mateus 13:24-30), um homem plantou sementes no seu campo mas o inimigo plantou joio no mesmo campo. Uma vez que o trigo e o joio começaram a crescer juntos, os servos sugeriram que arrancassem o joio. O dono da casa não os deixou tirar o joio. Ele deixou o joio crescer junto com o trigo até a colheita, quando o trigo foi recolhido e o joio foi queimado.

Algumas pessoas ensinam que esta parábola fala sobre a igreja, mostrando que os pecadores convivem com os fiéis na igreja, aguardando o julgamento final de Deus. Mas tal interpretação contradiz a palavra do Senhor.

O próprio Jesus explicou a parábola, dizendo que "o campo é o mundo" (Mateus 13:38). No mundo, os servos dele convivem com os pecadores. Ele orou sobre os apóstolos: "Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou" (João 17:15-16). Embora os servos dele sejam santificados, não podem sair do mundo.

Mas na igreja é diferente. Quando o joio se manifesta entre o povo de Deus, deve ser arrancado. Paulo instruiu a igreja dos coríntios sobre como resolver o problema de imoralidade no meio da congregação. Ele usou palavras fortes para descrever a atitude certa em relação ao irmão que volta e permanece no pecado: "...já sentenciei...que o autor de tal infâmia seja...entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor [Jesus].... Lançai fora o velho fermento....agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador" (1 Coríntios 5:3-5,7,11). Paulo escreveu aos tessalonicenses: "Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente..." (2 Tessalonicenses 3:6).

O mesmo Cristo que deixou o joio com o trigo no mundo, fortemente criticou a igreja em Tiatira: "Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos" (Apocalipse 2:20).

Paulo resumiu bem a diferença entre a igreja e o mundo: "Os de fora, porém, Deus os julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor" (1 Coríntios 5:13).

-por Dennis Allan

www.estudosdabiblia.net

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

DEUS NÃO CUMPRE AS SUAS PROMESSAS




Já aconteceu com você, de entregar um assunto nas mãos de Deus e não ver nada, absolutamente nada mudar ou melhorar?

No entanto, a Bíblia diz:

Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará” - Salmo 37.5.

O que deu errado?

Temos três possibilidades:
1. Houve algum problema com a “entrega”;
2. Houve algum problema com o “confiar”;
3. Deus não cumpre as suas promessas.


1. PROBLEMAS COM A “ENTREGA”
a) Entrega Aparente
Muitas vezes nos aproximamos de Deus e, aparentemente, entregamos a Ele o nosso caminho; no entanto, no íntimo, nós retemos o problema.

É semelhante aquela pessoa que vai a uma agência postal, compra um envelope, especifica o destinatário e o remetente de forma correta, fecha o envelope, e paga para que o correio faça uma entrega especial, registrada; porém, se esquece de colocar dentro do envelope os documentos que queria enviar. Fez “tudo certinho”, mas esqueceu o principal, o essencial.

b) Entrega Parcial
O verso bíblico não diz, entrega um caminho; nem diz para entregar parte do caminho. Ele diz: “Entrega o teu caminho...”, todo o caminho; a vida; a questão inteira, com tudo que a rodeia:
- A dívida, e toda a ansiedade e vergonha que vêm junto com ela.
- O casamento, e toda a dor e sentimentos amargos que ele tem lhe causado.
- A traição conjugal, e toda a raiva, o ódio e a humilhação que você tem experimentado.
- O emprego, e todas as preocupações e estresses que ele lhe causa.
- O desemprego, e todas as situações insustentáveis que ele lhe faz passar.
- Aquele pecado, e toda a tristeza que ele tem lhe provocado.

c) Entrega Momentânea
Muitas vezes entregamos o nosso caminho ao Senhor de forma real e completa, no entanto, tão logo saímos de sua presença, nós o pegamos de volta para resolve-lo à nossa maneira.
Acho que Deus fica se perguntando: “-Onde estão os problemas que meus filhos deixaram aqui no altar na hora do culto? Se eles pretendiam leva-los de volta, porque disseram que os estavam entregando para mim?”.
Ao contrário desta atitude, podemos afirmar que as idéias bíblicas de “entrega” sempre são definitivas. Observe-as:
- O adversário entrega alguém ao juiz (Mateus 5.25), e o juiz o entrega ao meirinho para ser preso (Lucas 12.58);
- Judas entregou Jesus;
- Jesus foi entregue nas mãos dos homens (Mateus 17.22), aos principais sacerdotes e aos escribas (Mateus 20.18), aos gentios (Mateus 20.19), a Pilatos (Mateus 27.2), à sentença de morte (Lucas 24.20) e à crucificação (Mateus 26.2);
- Jesus entregou seu espírito aos cuidados do Pai (João 19.30).


2. PROBLEMAS COM O “CONFIAR”
a) A Maioria Dos Cristãos Não Confia Em Deus
Não tenho nenhuma dificuldade em afirmar que a maioria dos cristãos ainda não aprendeu a confiar plenamente em Deus. E eu me incluo entre eles. E o pior de tudo, é que esta nossa falta de confiança ofende a Deus! Como?

Imagine que amanhã de manhã você tem que pagar uma dívida. Se você não a pagar, coisas muito ruins irão acontecer. Imagine, ainda, que você tem um amigo de infância que se deu bem na vida; tem dinheiro sobrando. Você telefona para ele. Explica a situação. Ele, prontamente, diz que vai lhe emprestar o dinheiro necessário. Bem, se este amigo é CONFIÁVEL, você irá dormir em paz; porém, se este seu amigo não é digno de confiança, é inconstante, “garganta”... Bem, neste caso, você continuará preocupado do mesmo jeito, não é mesmo?

Agora transfira esta situação para o seu relacionamento com Deus. Você o procura, coloca seus problemas em suas mãos, mas, continua preocupado. O quê você está dizendo para Ele? Que Ele não é digno de confiança. Por isso eu digo que a maioria dos cristãos ainda não aprendeu a confiar plenamente em Deus e que esta nossa falta de confiança O ofende.

E pensar que não há Deus maior, não há melhor, não há Deus tão grande quanto o nosso Deus. E, que Ele tem boas intenções para conosco.

b) Muitos Cristãos Querem Manipular Deus
Muitas pessoas colocam um determinado assunto nas mãos de Deus e ficam tentando manipular Deus, sugerindo como Ele deveria agir naquela situação.

Ficam “cobrando” de Deus uma atitude mais enérgica, um castigo severo, uma vingança exemplar, uma resposta rápida, etc.

Em outras palavras, eles não confiam na sabedoria de Deus. Não confiam em Seus santos desígnios. Não confiam em Seu caráter.

Se eu verdadeiramente entreguei meu caminho ao Senhor, devo esperar que Ele resolva as coisas do jeito Dele, e não do meu.

Certa era a atitude do salmista: “Esperei com paciência pelo Senhor, e ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor” (Salmo 40.1).


3. DEUS NÃO CUMPRE AS SUAS PROMESSAS
É verdade!
Deus não cumpre as suas promessas CONDICIONAIS, enquanto o homem não faz a sua parte.

Deus estabeleceu leis espirituais que devem ser respeitadas, e este verso bíblico nos revela uma delas: - Se queremos vê-lo atuando, temos que lhe entregar o nosso caminho e confiar nele.

SE, verdadeiramente, ENTREGARMOS nosso caminho ao Senhor.
SE, verdadeiramente, CONFIARMOS nele (em Seu poder, caráter e intenções).

Veremos Deus agir.
Senão, não!

Conclusão

Deus cumprirá Suas promessas, a Seu modo, em Seu próprio tempo, somente após lhe entregarmos o nosso caminho de forma incondicional e confiarmos Nele de todo o nosso coração.

Aleluia! Deus seja louvado.


Autor: Pr Franco

Site do Pastor (www.sitedopastor.com.br)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Esperar em Deus - Parte 3



A espera ajuda a fortalecer a nossa confiança em Deus

“Ó minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança.” (Sl 62.5).

Por que é tão difícil esperar?
Somos muito imediatistas e não gostamos de esperar. Deixamos muitas vezes o medo e a ansiedade tornarem-se empecilhos à concretização das promessas de Deus em nossa vida. Mas se soubermos lidar com estes sentimentos, conquistaremos as promessas do Senhor no tempo certo!

Como esperar em Deus?
Tenho aprendido por meio do louvor e da adoração uma maneira maravilhosa de aguardar as promessas de Deus, mesmo nos momentos mais difíceis, quando tudo parece contrário, quando os sonhos e planos de Deus parecem que não irão se concretizar, começo a adorá-lo e a crer que não está demorando, mas que ele está trabalhando para entregar o melhor para minha vida.

Como saber o tempo certo de Deus?
Para entendermos o tempo certo de Deus, precisamos sentir a sua paz nas decisões que iremos tomar – aquela paz retratada em Filipenses 4.7, que excede todo nosso entendimento. Esperar no tempo certo de Deus também significa renúncia e santificação. Quando nos entregamos totalmente ao Senhor, ele passa a ser o dono exclusivo do nosso tempo. No “silêncio” Deus trabalha, no “silêncio” Deus molda nosso caráter, no “silêncio” aprendemos a depender dele e deixamos nossa auto-suficiência em suas mãos. O “silêncio” de Deus é necessário em nossa vida.

Conseqüências de não esperar em Deus
Existem graves conseqüências para aqueles que não esperam o tempo certo de Deus, tais como: ansiedade, medo, sonhos desfeitos, decepções, amarguras e frustrações.

Há alguns meses, encontrei com uma amiga da faculdade e ela começou a me questionar sobre algumas áreas da minha vida. Percebi que ela estava curiosa para saber sobre a área emocional, pois havia constatado o quanto Deus estava me abençoado na área ministerial e profissional. Foi quando ela indagou: “Você já se casou? Está noiva?”. Então respondi: “Não, mas estou esperando no Senhor”. Então ela me disse: “Suely, você não pode querer tudo na vida”. Então eu lhe respondi: “Sim! Com certeza Deus me concederá todas as promessas e isto também inclui a área emocional”. Com os olhos assustados ao ouvir uma resposta cheia de esperança e fé, ela disse: "Realmente percebemos o quanto você demonstra segurança nesta área e o quanto tens sido abençoada”.

Então, amado(a) irmão(a) o que você tem esperado? Cura? Ministério ungido? Casamento? Filhos? Emprego promissor?

Esperar em Deus não é para os fracos, mas para os fortes em Cristo Jesus. A Palavra de Deus nos diz: “Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.” (Sl 118.24).

Creia que o “dia do Senhor” está chegando em sua vida.
Creia que o “dia do Senhor” é cheio da presença dele.
Creia que o “dia do Senhor” é repleto de vitórias e alegrias. “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.” (Isaías 64.4).

Faça hoje um compromisso perante o Senhor e se comprometa a esperar nele. Tome a decisão de esperar pacientemente pelo melhor de Deus.

::Por Suely Marques de Rezende

Líder de Louvor do Ministério de Louvor Herdeiros de Deus. Igreja Missionária Vila Morangueira – Maringá (PR).

Esperar em Deus - Parte 2



Quando louvamos a Deus e esperamos nas Suas promessas, Deus trabalha por nós

Ao estudarmos sobre a vida de grandes homens da Bíblia, nos deparamos com uma realidade entre eles: esperaram anos para verem as promessas de Deus se concretizarem em suas vidas. Por quê? Como diz o Pastor Márcio Valadão, “Deus trabalha ‘artesanalmente’”.

Um exemplo bíblico foi a vida de Abraão. Ele é considerado o Pai da Fé. Aos 75 anos, Abraão ouviu a voz do Senhor e recebeu a promessa do filho herdeiro (Gn 15.5). Então, depois de nove meses, nasceu Isaque. Não! Quando Abraão não tinha mais o vigor físico e estava totalmente na dependência do Senhor, aos 100 anos de idade, ou seja, 25 anos após a promessa, nasceu Isaque, o filho tão esperado, o filho da promessa! Deve ter sido um período muito difícil para ele. As pessoas o questionavam sobre ter filhos, pois seu nome significava “Pai de Multidões”.

Mas ele tinha a promessa de Deus e a Palavra do Senhor não volta vazia: “Assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.” (Is 55.11.)

A canção “Com Muito Louvor”, da cantora evangélica Cassiane diz:

“A gente precisa entender, o que Deus está falando
quando ele fica em silêncio, é porque está trabalhando
basta somente esperar o que Deus irá fazer
quando ele estende suas mãos é a hora de vencer.

Então louve, simplesmente louve
tá chorando louve, precisando louve,
tá sofrendo louve, não importa louve
teu louvor invade o céu...”

Quando louvamos a Deus e esperamos nas Suas promessas, Deus trabalha por nós. O segredo para termos a vitória é:

1º Lembrarmos das promessas do Senhor (Sl 119.49).
2º Lembrarmos do que Deus fez no passado a Abraão, a Jacó, a Moisés, a Davi e a tantos outros homens e mulheres de Deus (Sl 119.52).
3º Lembrarmos do nome de Deus (Sl 119.55).

Tenho esperado as promessas de Deus para todas as áreas da minha vida ministerial e emocional. Quando olho para o relógio e penso: “Esta demorando!”. Começo, então, a louvá-lo, começo a lembrar das suas promessas. “Porque não há tempo perdido em esperar quando esperamos no Senhor”. (pensador T. Jones.)

Amado, quando tudo estiver silencioso, quando olhar ao seu redor e não conseguir enxergar a vitória, não desanime! Não murmure! Deus está trabalhando e Ele não tem pressa! Ele tem o tempo certo para tudo em nossas vidas (Ec 3). E creia que todas as promessas do Senhor irão se cumprir em sua vida, no tempo certo. Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera pois, no Senhor.” (Sl 27.14.)

Esperar em Deus - Parte 1




Esperar em Deus significa renúncia, coragem e determinação

“Esperei confiantemente pelo Senhor; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro.” (Sl. 40.1.)



Muitas vezes deixamos de depender de Deus por causa da nossa auto-suficiência, mas no meio da adversidade nos voltamos para Ele em busca de auxílio.

No Salmo 40 Davi começa louvando ao Senhor pela oração respondida. Ele havia esperado no Senhor com paciência e não se desapontara. O Senhor respondeu ao seu grito de socorro e deu-lhe equilíbrio e um “novo cântico” que se tornou testemunho para os demais (v.3).

Sabemos que Davi teve que esperar muitos anos para que as promessas do Senhor se cumprissem em sua vida, e nesse período, ele teve que enfrentar muitos “gigantes”, muitas batalhas, sofrimento, dor e angustia, que estão relatados nos salmos. Mas tudo isto fazia parte dos planos de Deus para sua vida. Ele precisava ser lapidado e treinado para se tornar Rei de Israel.

Esperar em Deus significa renúncia, coragem e determinação.

Houve um tempo em que passei muitas lutas no ministério. Parecia que eu não iria vencê-las, olhava ao meu redor e não conseguia contemplar com os olhos da fé a transformação e restauração, tudo parecia contrário. Pensei em abandonar a liderança que Deus havia entregado em minhas mãos.

Cheguei a colocar minha vida emocional à frente do meu chamado levítico. Queria ver primeiro realizado o sonho do casamento para depois fazer a obra do Senhor como serva útil. “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR.” (Is. 55.8.)

Foi quando cheguei à presença do Senhor, me rendi aos seus pés e disse: “Eis me aqui, cumpra-se a tua vontade, farei tua obra em primeiro lugar”.

A partir desta entrega Deus falou ao meu coração: “Filha agora darei o que queres”.

Sabemos que o “agora” de Deus não é o nosso tempo e isto Deus tem me ensinado a cada dia mais. “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mt. 6.33.)

A partir desta entrega comecei fechar meus olhos e contemplar a fidelidade do Senhor para com minha vida. As circunstâncias foram se transformando e o desejo de servi-lo a cada dia mais foi crescendo. Hoje posso contemplar as maravilhas que Ele está fazendo no meu ministério e continuo esperando no Senhor, pois sei que o “agora” se cumprirá no tempo certo.

Esperar em Deus significa renunciar nossa própria vontade e deixar que Ele venha agir por nós. Os que esperam no Senhor com paciência encontrarão segurança e restauração renovada na comunhão com Ele.

A linda canção “Deus é Fiel”, fala das promessas de Deus: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram/O que Deus preparou para nós/Um futuro certo, cheio de esperança/E paz, muita paz...”

Seja qual for a dificuldade que você está enfrentando, ore! Espere em Deus! Não desista! Ele lhe ouvirá. Pois os sonhos do Senhor jamais se frustrarão.

Deus lhe abençoe!

sábado, 20 de novembro de 2010

No quintal da nossa casa...



No quintal da nossa casa Tem uma árvore bonita
Há crianças na varanda e sorrisos encantados
Com amor e poesia com canções e harmonia
Nosso clima é temperado expressando alegria
De viver o que é simples e valorizar
Tudo que existe em nós
De enxergar um mundo novo e de ter no peito um
sonho que é azul todo blue
Deixa o sol cobrir todo o seu olhar
E a luz dos teus olhos então me guiar
Eu não vou negar não vou negar o meu amor
Deixa a nuvem cinza então de vez passar
E a humanidade se humanizar
eu não vou negar não vou negar o meu amor

Autor: Kim, Cezar e Julio (Banda Catedral)

''Minha familia, presentes de Deus na minha vida... neste momento especial que foi o dia de hoje (20.11.10) presto esta simples homenagem... amo vocês !''

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sempre é possível...





Estava longe de você
Tudo era tão ruim
Não havia brilho em meus olhos
Uma chama de ilusão
Queimava dentro de mim
E na solidão então chorava
Uma música tocava triste no meu coração
Cada acorde era perfeito, mas a dor era maior
Mas quando te encontrei
Tudo se fez novo em mim
Há um novo brilho em meus olhos
Uma chama de amor
Se acendeu dentro de mim
Tudo é mais bonito ao teu lado
E a música que agora toca no meu coração
Trás o teu amor Jesus, em poesia na canção
Sempre é possível voltar atrás
Se a mão de Deus estabelece a nova direção
Sempre é possível reconstruir
Se o coração pede uma chance pra recomeçar
(E ser feliz )
Sempre é possível voltar atrás
Se a mão de Deus estabelece a nova direção
Sempre é possível reconstruir
Se o coração pede uma chance pra recomeçar
(E ser feliz )
Sempre é possível reconstruir
Se o coração pede uma chance pra recomeçar

...Mas quando te encontrei
Tudo se fez novo em mim
Há um novo brilho em meus olhos


Autor: Lenilton (novo som)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Davi homem segundo coração de Deus




1 Samuel-13:14
• Situando-se, Saul era rei, e ele pecou ao fazer sacrifício ao Senhor já que era papel somente do sacerdote, portanto era proibido mesmo ao rei fazer sacrifício, e um princípio para ser um homem segundo coração de Deus é ser obediente.

• Outro princípio I SAMUEL 16:6 e 7 -Deus olha o coração a fonte da existência essência do ser. Deus não atenta para a sua aparência Ele olha o coração. Por fora tá tudo muito bem por dentro tá tudo muito ruim não tem jeito de ser segundo coração de Deus por fachada você pode enganar qualquer um menos a Deus. Coração puro é outro princípio para ser segundo coração de Deus

CARACTERÍSTICAS

Mas quero destacar algumas características de um homem segundo coração de Deus.
I SAMUEL 16:11 - pessoa responsável todos os irmãos de Davi já estavam em casa e Davi estava ainda cumprindo seu trabalho o responsável trata tudo com seriedade e dedicação não tem brincadeira, desempenha bem sua função Deus só chama responsáveis, pessoas querem ser segundo coração de Deus mas não tem responsabilidade com nada.

I SAMUEL 16:18 - VALENTE - Não é covarde nem medroso não foge da raia não larga a batalha é brigador pelas coisas luta por tudo é perseverante.

ANIMOSO: Homem animado, hoje tá ruim, mas amanhã vai tá melhor, hoje não tem nem luz no final do túnel, mas amanhã não haverá nem túnel porque Deus arrancou tudo e tem benção tem vitória. Tem irmão que chega desanimado pedindo oração somente quem sabe pra cumprir um ritual.
Davi era otimista era animado eu vou vencer o gigante Qual o gigante que te atormenta, você vai vencer, vai vencer a batalha em nome de Jesus.

HOMEM DE GUERRA - Guerra lá era de armas e espadas mesmo, hoje travamos uma guerra espiritual temos que lutar contra inimigo tem crente que ora pra não manifestar capeta por que tem medo, tem que ser de batalha vou me preparar para a guerra vou prevalecer porque maior o que está em mim, e as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja de Jesus.

I SAMUEL 22:3 - Aí esta uma pessoa que vive inteiramente a depender de Deus não toma decisão sem antes consultar a Deus ao contrário de muitos crentes por aí que fala eu decidi e pronto não pergunta não depende simplesmente toma a decisão, e aí da tudo errado quebra a cara e ainda culpa a Deus. Você é responsável pelos seus atos. Provérbios 16:1 Do homem são as preparações do coração, mas do Senhor a resposta da boca.

II SAMUEL 12:13 - Sabe que eu aprendo aqui que o homem segundo coração de Deus assume seus atos. Ele fala eu pequei, temos a mania de transferir a responsabilidade, falar que a culpa é do meio em que vivemos uma verdadeira síndrome de Adão, foi a mulher que tu me deste Senhor. Conversa está assim por você mesmo pelos seus fracassos.
Davi fica no palácio não vai pra guerra (cabeça vazia...) chega na sacada do palácio e avista Betseba tomando um solzinho poderia Ter olhado e caído fora mas ficou lá cobiçando.
Um que avião...cometeu um adultério, um homicídio mandou Urias para frente da batalha para ali morrer. Mas Davi não culpou ninguém disse: Eu pequei(SL 22)

Temos que largar esta síndrome de Adão de transferencia de culpa temos que assumir sou eu que preciso me consertar não é a igreja, não é meu irmão, não é meu cônjuge é minha frieza espiritual.

I SAMUEL 18:14 - Prudente sabia se conduzir sabia o seu lugar, não arrumava confusão sabia se comportar sabia seu papel social(festa, trabalho não confundir).

I SAMUEL18:23 - Limites,aqui não é complexo de inferioridade não Davi se conhecia, temos que dar um mergulho dentro de nós e sabermos até onde podemos ir. Tenho que saber meus limites subir um degrau de cada vez. As vezes quer mostrar algo que não é, ganha 100 e acha que ganha 1000 Davi sabia seus limites.

I SAMUEL 17:26 - Aliança, circuncisão era a marca da aliança de Israel com Deus, quando nascia um menino no oitavo dia cortava-se a pele da genitalha do menino esta era a marca, e Davi dizia: Quem é este incircunciso que vai lutar contra mim?

Temos de Ter a marca da aliança com Deus que hoje é o sangue de Jesus Cristo na nossa vida. Davi tinha uma visão, este homem não tem aliança, eu tenho.
Não precisamos temer a nenhum gigante pois temos uma aliança, tenho que Ter a visão e ver a vitória não tem gigante eu sou o gigante.

Vamos encerrar dizendo que pra isto acontecer temos que depender de Deus. Quem depende não é arrogante não é auto-suficiente não age sozinho.


''Em Deus podemos todas as coisas.''

Fonte: http://www.igrejabatistadotirol.com.br/juvenil/ler.asp?cod=8
Alteração da ultima frase: Lázaro Maxuel

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Andando com o Espírito





“Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde”... Mt.11:29-30

Vida no Espírito é lago que se renova a cada manhã. Infelizmente, hoje existem pessoas sobrecarregadas e até mesmo dentro da igreja. Sobrecarregadas por: circunstâncias, problemas, etc... Deus quer nos liberar de toda carga através desta vida no Espírito. (Gl 5.25-26)

COMO FAZER PARA NÃO DEIXAR DE ANDAR NO ESPÍRITO?

1) SENDO FERVOROSO NO ESPÍRITO – RM.12:11 – SERVINDO AO SENHOR.
Ser fervoroso no Espírito é ser apaixonado pelo Senhor e o seu propósito.

• Infelizmente, hoje a Igreja tem perdido esta paixão.

2) COMO A IGREJA TEM PERDIDO ESTA PAIXÃO?

A) Quando nós deixamos as coisas preciosas ser tornarem coisas comuns.
• Hoje em dia o diabo tem tirado o valor de tudo o que tem valor para Deus – Jo.10:10
• O povo de Deus sempre foi conhecido pela sua alegria em toda história.
• A igreja perdeu o fervor na humanização

B) Quando começamos a depender das coisas externas, de fora, e não do fluir verdadeiro de Deus – Jo.4:23-24
• Para os filhos de Deus a base de tudo tem que vir de DEUS, Ele é a única fonte dentro de nós
• Somos o seu templo, e temos que viver como tal
• A cada manhã temos que acordar cheios do Espírito

3) VIVEMOS EM UM MUNDO APÁTICO = RM 12:1-2
• A apatia vem sobre nós quando nós nos conformamos com a situação.
• Temos que tomar muito cuidado com os nosso filhos

4) A IGREJA TEM PERDIDO A VISÃO DO PROPÓSITO DE DEUS, ELA PERDEU O ALVO.
• Uma Igreja que vê o propósito de Deus com clareza é uma Igreja fervorosa – (Num.13:14)
• Os que perdem o alvo morrem no deserto.
• O alvo de Deus deve estar estampado em nós.
• Hoje em dia a Igreja tem se voltado mais para a estrutura do que para as vidas.

5) PORQUE O FERVOR É TÃO IMPORTANTE?
R: Porque ele é primordial na vida da Igreja, é uma prioridade.
Líderes, pastores, músicos, cada serviço deve ser realizado com paixão a Deus. Amor e paixão pelo os irmãos – (Jo.13:34-35)
• Não podemos fazer a obra de Deus sem paixão!
• Deve ser uma prioridade na minha vida o que eu amo. Temos que observar na vida dos discípulos o que é prioridade.
• O que queima por dentro deve fazer diferença por fora
• O que queima por dentro você sente o cheiro por fora, e o cheiro deve ser o cheiro de Cristo.
• Eu sei o quanto custou o preço da minha vida para Jesus.
• Eu não devo ficar preocupado em ser o melhor, mas em dar o melhor para Deus, o melhor para o Senhor da minha vida.
• Ser apaixonado por tudo aquilo que Deus ama.

COMO RESTAURAR A PAIXÃO PELO O MOVER?

1) OLHANDO PARA JESUS – É IMPOSSÍVEL ALGUÉM OLHAR PARA JESUS E NÃO FICAR APAIXONADO POR ELE . – EF.5:14/ HEB.12:2/ II COR.3:18
• Nós contemplamos o Senhor Jesus, contemplando o verbo = a palavra.
• Contemplar Jesus é contemplar a palavra de Deus.
• Podemos contemplar Jesus olhando para os nosso irmãos – Mt.18:20

2) PODEMOS RESTAURAR A PAIXÃO RETORNADO AO PRIMEIRO AMOR.
• Deve ser uma prioridade – Ap. 2:4
• Voltar ao primeiro amor fala de valores que se perderam
• Temos que resgatar os valores perdidos
• Primeiro amor é comunhão com Deus

3) DEIXE O ESPÍRITO SANTO ATIVAR OS SEUS DONS.
• Muitos não aprendem a desenvolver os seus dons – Ef.4:8
• Muitos enterraram os seus dons
• Temos que ajudar cada discípulo a desenvolver os dons
• Cada um tem um dom pelo menos – I Pe.4:10
• A partir do natural Deus dá o sobrenatural

4) FAÇA TUDO, AINDA QUE SEJA POUCO, FAÇA TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS
• Identifique os dons
• Santifique
• Deus unge tudo isso
• Submeta os seus dons ao corpo
• Submeta os seus dons aos líderes
• Submeta os seus dons a palavra de Deus

- Não agrada a Deus o enterrar os talentos – Mt.25:14-30
- A Igreja deve ser um lugar onde os dons precisam ser despertados

5) VIVA E ANDE PERTO DE GENTE APAIXONADA POR DEUS.
• Jovens, olhem para pessoas apaixonadas por Deus
• No trabalho, seja sócio de pessoas apaixonadas por Deus

6) NUNCA SE ESQUEÇA DE TUDO O QUE DEUS FEZ POR VOCÊ
• Um exemplo negativo – o povo de Israel – Num.12 e 14
• Sl.103 – Seja sempre grato ao Senhor por tudo, e nunca se esqueça do que Ele já fez por você.

Autor: Asaph Borba
Fonte: http://www.vivos.com.br/231.htm

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Agenda 2010




Sejam bem vindos !

Agenda 2010:

06 de Novembro - Primeira Igreja Batista Cohab (New Life)
07 de Novembro - Primeira Igreja Batista Cabo
14 de Novembro - Primeira Igreja Batista Cohab (New Life)
19 de Novembro - Congresso Coojubas - São José da Coroa Grande
20 de Novembro - Congresso Coojubas - São José da Coroa Grande
21 de Novembro - Congresso Coojubas - São José da Coroa Grande
21 de Novembro - Aniversário Grupo Káris
04 de Dezembro - Igreja Presbiteriana do Brasil em Suape - Noite
05 de Dezembro - Igreja Presbiteriana do Brasil em Suape - Manhã

Contatos...

www.lazaromaxuel.blogspot.com
www.lazaromaxuel.multiply.com
Sônico: Lázaro Maxuel
My Space: L.maxuel
Hotmail: lazaro-maxuel@hotmail.com ou lazaromaxuel@hotmail.com
MSN: lazaro-maxuel@hotmail.com

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CNT/Sensus: Dilma tem 47,5% dos votos e Serra, 25,6%


Publicado em 29.09.2010, às 11h09

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, tem 47,5% da preferência do eleitorado, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã. O candidato do PSDB, José Serra, aparece em segundo lugar, com 25,6%, e Marina Silva, do PV, tem 11,6%.

Dilma perdeu 3 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior quando aparecia com 50,5%, enquanto Serra caiu 0,8 ponto, ante os 26,4% do levantamento anterior, feito entre os dias 10 e 12 deste mês. Marina Silva subiu 2,7 pontos porcentuais, passando de 8,9% para os atuais 11,6%. Com isso a diferença entre Dilma e Serra caiu 2,2 pontos porcentuais entre a pesquisa anterior e a anunciada hoje.

Considerando apenas os votos válidos (ou seja, excluindo brancos e nulos e distribuindo os indecisos proporcionalmente), Dilma teria hoje 54,7% da preferência e venceria a disputa no primeiro turno, que será disputado no próximo domingo. Serra tem 29,5% dos votos válidos. Marina Silva tem 13,3% dos votos válidos.

Em um eventual segundo turno, Dilma venceria com 53,9% da preferência, ante 34,5% de Serra. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 55,5% e Serra 32,9% na simulação. A pesquisa da CNT/Sensus foi feita entre os dias 26 e 28 de setembro e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 33.103/2010. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais. Foram entrevistadas 2 mil pessoas em 136 municípios.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Serra diz que mínimo de R 600 é anúncio, não promessa


SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta quarta-feira que a elevação do salário mínimo para 600 reais a partir do ano que vem não é uma promessa de sua campanha, mas um anúncio feito pelo candidato caso seja eleito.

"Se é algo que nós vamos fazer, não é eleitoreiro. É algo que nós vamos fazer eu acho necessário", afirmou o candidato durante entrevista ao programa Bom Dia Brasil (TV Globo) quando questionado se a elevação do mínimo não seria uma promessa eleitoreira.

O candidato disse que financiaria a elevação do salário mínimo com cortes nos cargos de confiança e no que chamou de "cabide de empregos". Também declarou que cortará "desperdícios" por meio de renegociações de contratos "que a meu ver estão inflados, como eu fiz no governo de São Paulo".

Serra avaliou ainda que a mensagem orçamentária enviada pelo governo federal subestima a receita da Previdência Social, o que daria espaço para um reajuste maior do mínimo.

"Eu fiz o cálculo, naturalmente com o auxílio de assessores, antes de anunciar qualquer coisa. De modo que é factível que o orçamento comporte essa despesa", afirmou Serra, sem mencionar números.

Atrás da candidata petista, Dilma Rousseff, nas pesquisas de intenção de voto, que apontam vitória dela já no primeiro turno, Serra afirmou ainda ser possível reajustar as aposentadorias em 10 por cento, como tem afirmado em seus programas eleitorais.

O candidato também foi indagado sobre uma terceira promessa feita recentemente, a da criação de um 13o para os beneficiados pelo programa Bolsa Família.

"Nós criamos as bolsas. Eu criei o Bolsa Alimentação no governo Fernando Henrique e o Paulo Renato (Souza ex-ministro da Educação) criou o Bolsa Escola", lembrou.

"O que o governo Lula fez foi juntar e chamar de Bolsa Família", avaliou. "(Criação de 13o) é um custo moderado e me parece perfeitamente razoável."

Durante os cerca de 20 minutos de entrevista, pouco se falou da disputa eleitoral. Serra foi questionado sobre a utilização de Lula em seu programa eleitoral e se estaria "escondendo" o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de quem foi ministro por duas vezes.

"Essa coisa do Lula se repete muito", disse. "Passou por três segundos na televisão e, na verdade, estava voltado para a candidata dele, no sentido de que ela não tem uma história, não tem uma biografia sólida", explicou.

"Em relação ao Fernando Henrique, ninguém mais do que eu tem defendido as coisas boas do governo dele por todas as partes."

"BURRICE", CHINA E CÂMBIO

Serra fez críticas à abertura econômica realizada no Brasil na década de 1990, que ele considerou "rápida e mal feita". O tucano declarou que há falta de investimentos em alfândega, o que permite a invasão de produtos chineses, por exemplo, sem o pagamento de impostos.

O tucano classificou de "um erro" a decisão do governo Lula de reconhecer a China como economia de mercado. Questionado então se pretendia criar barreiras para o comércio, Serra respondeu: "Não. Vou fazer defesa comercial, porque o Brasil atuou com burrice nessa área."

Ainda na seara econômica, Serra repetiu sua avaliação de que o real se encontra supervalorizado e relacionou a alta da moeda aos juros. Garantiu, no entanto, que não fará intervenções.

"A questão do câmbio precisa ser corrigida junto com os juros, porque ela é a contrapartida dos juros. Mas eu não vou fazer nenhuma intervenção. Nós temos um regime de responsabilidade fiscal, de metas de inflação, de flexibilidade cambial, de flutuação. Nós vamos manter esse regime."

(Reportagem de Eduardo Simões) - O Globo

OBS do postador... ... rsrsrs me engana que eu gosto... rsrsrs... aliás pense num povo pra gostar de ser enganado... pensou ??? ... salvem o povo brasileiro...

Crenças de Marina Silva criam atrito, e surge primeira dissidência no PV


O contraste entre as crenças de Marina Silva e as bandeiras libertárias que inspiraram a criação do PV provocou uma primeira dissidência no partido.

Com palavras de ordem contra a pré-candidata ao Planalto, um grupo de militantes rasgou suas carteirinhas de filiação e articula o lançamento do Partido Livre, dedicado à defesa das minorias e de direitos individuais.

Eles afirmam que a entrada da senadora, evangélica, fez o PV abandonar causas históricas como a legalização do aborto e a união civil de homossexuais.

"Sofremos um estupro ideológico", queixa-se a presidente do futuro partido, Rose Losacco. "Ajudei a fundar o PV e não posso admitir que joguem seu programa no lixo por causa das crenças de uma pessoa", diz.

Para receber Marina, os verdes criaram uma cláusula de consciência que permite a filiados se opor a itens do estatuto do partido por convicções religiosas.

Avalista da ideia, o presidente do partido, José Luiz Penna, é o principal alvo dos rebeldes. "Ele parece o Fidel Castro, não sai nunca do poder. Está usando até aquele bonezinho verde", ataca Rose. "Hoje o PV apoia todos os governos. Virou um partido de aluguel".

No cargo desde 1999, Penna não quis comentar as críticas e a criação da nova legenda.

A dissidência promove hoje seu primeiro encontro nacional, em Belo Horizonte. Vai anunciar apoio a Dilma Rousseff, do PT. A justificativa é que ela apoiaria as causas renegadas por Marina.

Os dissidentes dizem ter "quase 100 mil" assinaturas, bem menos que as 468 mil exigidas para fundar um partido. Apesar disso, fazem planos ambiciosos. "Vamos mostrar que o Livre veio para mudar a história do Brasil", promete o vice-presidente Carlos Taborda".

O grupo ainda não atraiu políticos com mandato, mas sonha com o ministro Juca Ferreira (Cultura), que se licenciou do PV para apoiar Dilma. Ele já recusou o convite.

Por enquanto, o maior desafio é escapar da sigla PL, usada pelo antigo Partido Liberal (atual PR). "Queremos cair fora dessa coisa de rótulos. A gente se considera livre", diz Rose.

Esta semana, o PV sofreu outra baixa em protesto contra Marina. O presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira, decidiu trocar o partido pelo PT. Em abril, um vereador verde de Alfenas (MG) acusou a senadora de se recusar a receber uma bandeira arco-íris.

Fonte; BERNARDO MELLO FRANCO
da Reportagem Local - Folha.com

Se eleito, Tiririca corre risco de não assumir o cargo


SÃO PAULO - A candidatura de Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca, será mantida, de acordo com informações da Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo (PRE-SP), pois o procedimento de registro do candidato já foi deferido em 19 de agosto. No entanto, Tiririca pode não assumir o cargo de deputado federal mesmo se vencer as eleições. Isso pode ocorrer caso a Procuradoria constate algo irregular nos documentos que informam a escolaridade do candidato.

Se for comprovado que Tiririca é analfabeto, ele pode ser vetado por inelegibilidade constitucional, conforme artigo 14, parágrafo 4º da Constituição Federal. A Procuradoria informou que está tomando as providências para apurar o caso e vai solicitar o registro de candidatura ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para examinar o que de fato foi apresentado pela candidato em relação à sua escolaridade.

Por Solange Spigliatti, do estadão.com.br, estadao.com.br, Atualizado: 27/9/2010 13:27

domingo, 26 de setembro de 2010

MAMMA MIA!


O grupo ABBA criticou veementemente um partido político dinamarquês por utilizar o seu hit de 1976, Mamma Mia, em campanhas eleitorais. A banda ameaçou entrar com um processo contra o ultradireitista Partido do Povo Dinamarquês, que alterou a letra da música sem autorização, mas retirou as acusações após o partido voltar atrás. O nome e a letra da canção foram alterados para "Mamma Pia", em homenagem a Pia Kjaersgaard, líder do partido.



"Primeiramente, você não pode apenas reescrever as músicas do jeito que quer", criticou o vocalista Benny Andersson. "Em segundo lugar, nós queremos que eles entendam que não temos absolutamente nenhum interesse em apoiar o seu partido. O ABBA nunca vai permitir que a sua música seja utilizada num contexto político. Isso foi algo que deixamos bem claro para o Partido do Povo Dinamarquês".

Fonte: Laboratório Pop - R7

A briga pelo voto evangélico


Os candidatos à Presidência estão de olho no voto dos evangélicos. Não por acaso. Juntos, os evangélicos representam cerca de 25% do eleitorado brasileiro, que é de 135 milhões de pessoas. Ou seja, uma massa de 33 milhões de eleitores.

Na corrida por essa encorpada fatia do eleitorado, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) estão na frente. Eles brigam ferozmente pelo apoio das gigantes Assembleia de Deus e Igreja Universal. Ironicamente, a candidata do PV, Marina Silva, única evangélica da disputa, é quem tem mais dificuldades para costurar apoios com uma das frentes religiosas.

O maior imbróglio está na Assembleia de Deus. A igreja é dividida em duas partes – a Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil (Ministério de Madureira) e a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). No total, a instituição conta com 16 milhões de seguidores, sendo que a corrente majoritária, a CGABD, liderada pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, conta com 10 milhões. Neste campo, é o tucano José Serra quem tem vantagem, já que é amigo do pastor e contou com seu apoio no segundo turno das eleições de 2002.

De acordo com o presidente do Conselho de Comunicação da CGADB, pastor Mesquita, a Assembleia de Deus “não apoia nenhum candidato oficialmente”. Ele afirma que a ala majoritária “demonstra apoio a José Serra e proximidade com ele”. “Há uma resistência da CGADB a Dilma Rousseff, que é muito progressista e liberal em assuntos como aborto e casamento gay. Não negamos direitos a niguém. Eles [os homossexuais] têm direito de fazer o que quiserem, mas não absorvemos essas ideias e somos totalmente contrários a elas”.

A outra ala da Assembleia de Deus, conhecida como Ministério Madureira, conta com 6 milhões de seguidores e está com Dilma. Neste sábado, o deputado federal Pastor Manoel Ferreira (PR-RJ), líder da convenção nacional, organizou um evento em Brasília com fieis de diversas igrejas evangélicas para apoiar a petista, como Assembleia de Deus, Sara Nossa Terra e Igreja Universal do Reino de Deus. Segundo o deputado-pastor, o apoio à ex-ministra foi negociado e eles teriam recebido a promessa de Dilma de que um eventual governo petista deixaria questões polêmicas como a legalização do aborto e a união civil entre homossexuais para serem discutidas apenas pelo Congresso.

A escolha de Marina – Enquanto isso, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, não encontra apoio oficial nem mesmo na igreja à qual pertence. A verde é da Assembleia de Deus desde 1997 e, segundo a CGADB, “a igreja deveria ter amadurecimento para anunciar um apoio oficial a Marina”. Segundo representantes da convenção, a igreja poderia exigir dela um governo norteado pelos “ensinamentos cristãos”. Mas não foi isso que aconteceu.

A assessoria de Marina Silva, por sua vez, afirma que a candidata defende um estado laico e não discrimina a fé. “Marina reconhece que os evangélicos são um público a quem ela deve atenção por fazer parte dele, mas não faz um direcionamento específico para nenhum grupo religioso”.

Universal e a confusão de Dilma – A ex-ministra ganhou – mais uma vez – uma herança do governo Lula: o apoio da Igreja Universal. Com 13 milhões de fieis, a instituição apoiou Lula em 2002 e 2006. Um dos elos de Dilma com a igreja é o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) que, de acordo com sua assessoria, tem uma amizade “antiga e pública” com o presidente Lula. Além disso, quando defende a ideia de que o aborto deve ser tratado como questão de saúde pública, e não rejeitado por princípio, a candidata petista não se choca frontalmente com os preceitos do líder da Universal, o pastor Edir Macedo, que se diz favorável à prática em diversas situações.

Essa não é, obviamente, a posição da Igreja Católica. Nesta semana, o bispo de Guarulhos (SP), dom Luiz Gonzaga Bergonzini, defendeu o boicote à candidatura de Dilma por considerar que o PT é a favor da interrupção da gravidez. Para tentar resolver esse impasse, Lula inteveio: nomeou seu chefe de gabinete, Gilberto Carvalho, um ex-seminarista, para aproximar a petista da Igreja Católica.

(Marina Dias e Adriana Caitano)- Editora Abril

Dilma recebe apoio de 15 igrejas evangélicas


A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, recebeu neste sábado o apoio de representantes de 15 igrejas evangélicas. A manifestação ocorreu dois dias depois da polêmica envolvendo o bispo de Guarulhos (SP), d. Luiz Gonzaga Bergonzini, que pregou o boicote dos católicos à candidatura da petista sob o argumento de que ela defende a descriminalização do aborto. "Eu sou a favor da vida em todas as suas manifestações e seus sentidos", afirmou a petista, na sede da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil.

Com discurso sob medida para agradar à plateia, Dilma citou passagens do Evangelho nas quais Jesus fala da vida em abundância. Depois, lembrando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse que vai "cuidar do povo" e da família, "como ele". "Quero pedir a vocês que orem por mim", insistiu.

Diante de aproximadamente 1 mil fiéis, a petista afirmou que o governo Lula encerrou "uma era de choro, desespero, medo, acomodação e desemprego" e prometeu dar continuidade ao projeto do presidente. "O choro pode durar toda uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Nós vamos construir juntos a alegria que chega pela manhã."

Na chegada ao templo, Dilma foi saudada por obreiras. Passou perto de uma faixa de protesto estendida por dois evangélicos, na qual se lia "Apoiar Dilma é negar a Bíblia". "Aborto não", gritou um homem logo que a candidata entrou acompanhada do vice, deputado Michel Temer (PMDB), de coordenadores de sua campanha e de Gilberto Carvalho, chefe de gabinete de Lula. Ex-seminarista, Carvalho foi designado pelo presidente para aproximar a petista dos religiosos.

O pastor e deputado Manoel Ferreira (PR-RJ), presidente de uma das maiores denominações da Assembleia de Deus, o Ministério de Madureira, defendeu o voto em Dilma e agradeceu Lula pela lei que regulariza os templos erguidos em áreas públicas da União. "Agora chegou a hora de estarmos unidos. O que podemos fazer por esse homem?", perguntou o pastor aos fiéis. Ele mesmo respondeu: "Fazer a sua sucessora." Ferreira coordena o movimento evangélico da campanha de Dilma.

Boatos

Na tentativa de desfazer boatos dando conta de que a candidata do PT defende o aborto e o casamento gay, Ferreira contou que se reuniu com ela no início do ano para tratar do assunto.

"Pedimos que alguns temas polêmicos do Programa Nacional de Direitos Humanos 3 pudessem ser revistos e, ainda, que essas matérias controversas fossem objeto de apreciação no fórum competente, que é o Congresso, e não partissem do Executivo", disse o pastor, numa referência à legalização do aborto e à união civil entre homossexuais. "Ela nos garantiu que, eleita, não enviará essas propostas."

Em seus pronunciamentos, Dilma tem dito que não defende a interrupção da gestação a não ser em casos previstos em lei, como na gravidez resultante de estupro. Porém, avalia que o Estado não pode ignorar o assunto, pois muitas mulheres, sobretudo as de baixa renda, usam métodos considerados "medievais" para pôr fim à gravidez.

Apesar de a candidata do PV, Marina Silva, ser ligada à Assembleia de Deus, Dilma vem conquistando o apoio dos evangélicos. Muitos deles alegam que a ex-senadora não procurou o aval da igreja.

Fonte: Agência Estado
Link: http://portalexame.abril.com.br/economia/eleicoes-2010/noticias/dilma-recebe-apoio-15-igrejas-evangelicas-581464.html

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Pra você ... O que é ser Cristão ??? (A essência do Cristianismo)


Uma senhora parou seu carro no sinal vermelho. Quando o sinal ficou verde, ela continuou parada. O sinal mudou várias vezes, mas ela continuou esperando. Finalmente, o guarda de trânsito caminhou até o carro e perguntou-lhe educadamente: "Moça, não temos nenhuma cor que a senhora goste?"

Muitos também estão à procura de alguma cor. Alguns seguem o arco-íris em busca do pote de ouro; outros estão empolgados pelas cores da vida noturna; há aqueles que buscam a fama na esperança de encontrar a realização nos aplausos da multidão; alguns buscam satisfação nas profundezas do seu interior e meditam horas a fio; e outros, com boa razão, tentam tudo isso e dizem: "Nenhuma dessas cores me satisfaz."

De fato, só existe um meio de atrair homens e mulheres para uma vida melhor. Jesus disse: "E Eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a Mim." São João (NT) 12:32.

Não existe maior poder de atração em todo o Universo do que Jesus, o crucificado. Infelizmente, alguns cristãos têm feito a sua vida parecer amarga, cinzenta, triste e incolor. Aqueles que olham para eles, dizem: "Eu já sou infeliz o bastante. Não preciso disso."

A garotinha Márcia e seu vizinho Joel estavam brincando de desenhar no quintal. Ficaram ocupados durante alguns minutos com os lápis de cor quando Márcia olhou para o desenho de Joel.
- Que desenho mais bobo!
- Não é bobo, não.
Em seguida, Joel baixou a voz e perguntou:
- Por que o achou bobo?
- Isso aí não é uma igreja com pessoas orando? -perguntou a Márcia.
- é - respondeu o menino.
- Então por que você desenhou um sorriso em todas as pessoas? Todo mundo sabe que as pessoas são tristes na igreja!
- São mesmo?
- São, sim. Eu ri na igreja do Pedrinho uma vez e gritaram comigo. Acho que Deus não gosta que as pessoas riam na casa dEle. E quando você fala com Ele, deve abaixar a cabeça e ficar muito triste.

Sem dúvida, muitas pessoas têm a noção de que Deus não quer que você sorria; que a felicidade é totalmente proibida e que ser um cristão significa estar sentenciado a uma vida de muita tristeza. Por outro lado, nem todos os cristãos representam mal seu Senhor.

O professor Josh McDowell nos diz que, em sua juventude, resistiu durante anos aos apelos do Senhor. Mas uma coisa sempre o perturbava: os cristãos que conhecia eram "irritantemente" felizes. Tal felicidade não é sequer sonhada por alguém disposto a desistir assim que as coisas ficam difíceis. O crente pela metade é infeliz. é ele quem acha o caminho difícil e restritivo; o cristão dividido é que tenta escurecer suas cores e turvar sua lealdade na esperança de que ninguém saiba de que lado ele está.

O apóstolo Paulo enumera o fruto do Espírito, as qualidades da verdadeira vida cristã: "Mas o fruto do espírito é: amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fé, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei." Gálatas (NT) 5:22 e 23.

Todos querem essas qualidades, mas onde encontrá-las? Elas são uma dádiva do Espírito Santo aos cristãos genuínos. Isso quer dizer que um compromisso com Cristo provocará mudanças. A experiência cristã do novo nascimento é de fato genuína quando faz diferença na pessoa e em seu estilo de vida.

O apóstolo São Pedro fez alguns comentários apropriados: "O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestidos; Mas... no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus." I São Pedro (NT) 3: 3 e 4.

Os diamantes podem ser comprados e vendidos, mas a beleza do caráter, o adorno interior, não tem preço. é com o artificialismo que São Pedro está preocupado. Por que o cristão se tornaria artificial se Deus tem dado tanta beleza natural para cultivar?

A conversão verdadeira, inevitavelmente, transformará o modo da pessoa viver. Não só fará diferença em seu comportamento, mas também fará diferença em sua postura interior. Dificilmente suas escolhas serão as mesmas de antigamente. Ela não norteará sua vida em motivos egoístas mas em um discernimento cristão.

O apóstolo Paulo nos dá um princípio geral bastante útil: "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." Filipenses (NT) 4:8. Aquilo que você pensa determina a sua ação.

O novo nascimento altera nossa forma de viver. Costumes deturpados darão lugar a hábitos saudáveis, provocando um adequado equilíbrio entre corpo, mente e espírito. Haverá um novo critério relativo à alimentação, à prática de exercícios, à regularidade no sono. Evitaremos qualquer coisa que ameace destruir a saúde. A verdadeira conversão levará a significativas mudanças. O amor se reflete na prática, na ação. Tudo o que é feito com amor não é um peso. Deus não nos pedirá para desistirmos de nada que nos faça bem.

Adoramos um Deus exuberante no uso de cores e desenhos. Veja o pôr-do-sol. é original cada tarde. Observe os pássaros com as cores brilhando à luz do Sol. Note as árvores com suas folhas balançando e enfeitando os campos.

Sem dúvida, o Criador ama a cor e o brilho, a textura e o desenho. Não temos nada a temer. é Ele quem dá vida a toda a criação. Ele espalha cores por todas as estações do ano. Este é o Deus que adoramos. Ele não tem nenhuma cor que você goste?

Ele nunca lhe pede demais. Pede apenas uma pequena parte das riquezas que Ele colocou à sua disposição. O Salvador lhe pedirá que professe sua lealdade publicamente, entrando nas águas e sendo batizado da mesma forma que Ele. Você abriria mão do privilégio de se unir publicamente àquele que morreu por você?

"E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se Lhe abriram os céus, e viu o espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre Ele." São Mateus (NT) 3:16. Jesus saiu das águas com as roupas respingando e ajoelhou-Se humildemente na margem do Jordão. Então o Deus do Céu quebrou o silêncio de séculos, e falou: "Este é o Meu Filho amado, em Quem Me comprazo." São Mateus 3:17.

Jesus foi ao rio Jordão para ser batizado. Ele saiu da água; o Seu batismo foi por imersão. Ele não se satisfaria com um pouco de água derramada sobre Ele. Lemos que Filipe batizou o etíope do mesmo modo que Jesus foi batizado. "E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: é lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho." Atos 8:36-39.

Note estas palavras: "Eis aqui água", "desceram à água", "saíram da água". Isso é imersão! E o que foi necessário antes desse homem ser batizado? Crer. O que isso nos diz sobre o batismo de bebês? Um bebê pode crer? Uma criança, sim, mas não um bebê. Ele ainda nem sequer sabe quem é Jesus.

"Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na Sua morte? De sorte que fomos sepultados com Ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida." Romanos 6:3 e 4.

Pode qualquer método de batismo, a não ser o de imersão, representar adequadamente a morte, o enterro, e a ressurreição do nosso Senhor? Que privilégio estar unido com nosso Senhor numa cerimônia tão significativa! Agora é o melhor momento para você decidir seguir o Senhor nesse rito sagrado.

O apóstolo São João, que vivia mais próximo do Senhor, descreveu os acontecimentos da última noite do Salvador com os discípulos antes da crucificação! Ele deve ter descrito aquelas cenas com detalhes, repetidas vezes, aos primeiros cristãos. Ele contou como Jesus repartiu com eles o pão que representava o Seu corpo que, horas depois, seria partido por nós. Contou também como distribuiu entre eles, o puro suco de uva não fermentado, representando o sangue com o qual Ele compraria o direito de nos perdoar. Os discípulos não tinham entendido muito bem essas coisas naquele momento. Mais tarde, porém, esses símbolos passaram a ter um profundo significado para eles. "Fazei isto em memória de mim", disse Ele. Os primeiros cristãos valorizavam tanto o privilégio do serviço da comunhão que fizeram dela, parte de suas reuniões.

Aconteceu uma coisa memorável nessa noite de quinta-feira que deixou uma cicatriz no coração de João. Ele não podia contá-la com a costumeira facilidade. Era costume o anfitrião prover um criado para lavar a poeira dos pés dos hóspedes. Mas naquela noite de Páscoa ninguém se lembrou de conseguir um criado. De repente, chegou o momento desagradável. Cada um dos discípulos teve a convicção de que deveria realizar a tarefa, mas respondeu em seu íntimo: "Não, eu não! Talvez outro. Eu é que não vou fazer esse serviço humilhante!" E, enquanto eles hesitavam, o próprio Jesus, o Senhor do Céu e da Terra, pegou uma toalha, ajoelhou-Se e começou a lavar os pés deles.

Eles ficaram arrasados pelo sentimento de culpa. Jesus, o Senhor, estava fazendo o que eles deveriam fazer, mas tiveram orgulho demais. Isso deixou uma cicatriz em cada coração.

Jon Dybdahl, escrevendo para a revista Insight, conta como ele e sua esposa chegaram à Tailândia há alguns anos como jovens missionários. Uma das primeiras coisas que Jon aprendeu relacionava-se com a etiqueta em relação aos pés. Na Tailândia, não se balança os pés nem se aponta para nada com os pés. Seu hábito de cruzar as pernas com o sapato tamanho 42 balançando no espaço, foi considerado terrivelmente rude. Ele percebeu o quanto a sua atitude era grave, quando foi advertido no tribunal para manter os dois pés no chão durante a audiência. Essa aversão por pés entrava em todas as conversas. Qualquer menção ao pé, ou mesmo à canela, era tabu.
Com o passar do tempo, Jon estava ansioso para falar às pessoas sobre a cruz do Calvário, mas a história não funcionou como ele esperava. Para pessoas que crêem na reencarnação com múltiplas mortes e nascimentos, o que poderia haver de tão especial na morte e ressurreição de Cristo? Sem dúvida, Ele deveria ter feito coisas horríveis em uma outra vida para sofrer uma morte tão horrível.
Como se pode explicar a cruz a um budista? Então um amigo, budista devoto, veio visitar Jon. Ele disse que um conhecido seu, um monge budista, estava construindo um salão das religiões do mundo em seu mosteiro e gostaria de saber se Jon podia ir visitá-lo e sugerir cenas apropriadas e passagens para representar a religião cristã. Jon concordou em ir.
No dia marcado, ele pegou sua motocicleta e orou por sabedoria. Jon e o monge visitaram alegremente todos os edifícios e setores. Chegando ao salão das religiões do mundo, Jon admirou os murais já completos, e aí assentaram-se.
O monge expressou suas próprias idéias:
- Professor, o que o senhor julga ser a essência do cristianismo?
Jon mencionou ao monge São João 13. Encontrou a passagem para ele em sua Bíblia e, lentamente, a leu na linguagem thai como Jesus lavou os pés dos discípulos. O monge nada disse enquanto ele lia, mas Jon podia sentir uma estranha e incrível quietude e poder. Quando terminou, o monge olhou para cima com grande incredulidade e perguntou:
- Você quer dizer que o fundador da sua religião lavou os pés dos seus alunos?
A testa do monge enrugou de choque e deslumbramento. Ele ficou sem palavras e Jon também. A expressão no rosto do monge tornou-se muito reverente. Jesus, o fundador do cristianismo, tinha de fato tocado e lavado os pés sujos de pescadores!

Jesus lavou os pés de homens que não estavam dispostos a lavar os pés de seu Senhor. O amor deles por Jesus tinha sido grande o bastante para falarem a respeito, para fazerem promessas de que até morreriam por Ele, mas não passava de palavras. Com a culpa atravessando o coração, eles tiveram uma imagem clara do que Jesus vinha tentando ensinar-lhes todo o tempo: o amor é algo que se pratica.

As cerimônias não salvam. Não há nada na água, no pão ou no vinho que possa mudar as pessoas. O batismo e a Santa-Ceia são a expressão pública do relacionamento que já existe com Jesus. Você não quer desenvolver um relacionamento com Cristo? O batismo é a confirmação desse relacionamento. Você aceitaria ser batizado do mesmo modo como Jesus foi batizado? Pense e ore sobre essa importante decisão.

Fonte: Estudos Biblicos - Está Escrito.