quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Noticias do dia.

Edições Anteriores
13/11/2011

Jornal do Commercio
Economia
13/11/2011


SUAPE
Os vizinhos dos estaleiros
Famílias diretamente afetadas por grandes investimentos ainda aguardam solução do governo

Quando percebe a presença da reportagem do JC na Ilha de Tatuoca, no Porto de Suape, o pescador Biu dispara, emburrado: “Não aguento mais filmagem aqui. Os anos passam e tá tudo a mesma coisa. O governo não faz nada”. A descrença, que resvala sobre nossa equipe, é o resultado de promessas descumpridas. Desde 2007, o governo de Pernambuco garantiu que construiria a agrovila Nova Tatuoca para remover a comunidade de pescadores e permitir a implantação de um polo naval na ilha. A diretoria do complexo aprovou um novo plano diretor, dedicando 600 hectares de terra para os estaleiros, mas não conseguiu resolver o imbróglio com os ilhéus. Hoje, eles convivem com o Atlântico Sul em seu quintal e, agora, com a obra do Promar.

O projeto do condomínio foi marcado por uma série de entreveros. O primeiro desafio foi convencer os moradores a deixarem o local que habitam há quatro gerações para ocupar uma vila com 51 casinhas de gesso. Depois, o projeto sofreu mudança de endereço. O primeiro terreno escolhido para abrigar as residências era local de uma obra de saneamento da Secretaria de Turismo. Uma segunda área foi identificada e o posseiro exigiu um valor de indenização que Suape se recusava a pagar. Para completar o longo folhetim, a Agência de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH) identificou que uma parte do terreno ficava dentro de uma área de preservação ambiental (APA) e embargou a obra.


Resultado: a obra está parada desde 2009 e o governo vai precisar jogar fora o dinheiro que investiu numa primeira terraplenagem e fazer uma segunda obra. A defasagem também vai exigir que o valor do projeto, orçado inicialmente em R$ 2,8 milhões, seja recalculado. “A CPRH percebeu que uma franja do aterro de um metro da terraplenagem estava dentro da APA e exigiu que o projeto fosse refeito”, explica o diretor e Planejamento e Urbanismo de Suape, Jaime Alheiros. A nova estimativa é que a obra seja iniciada em nove meses. Uma mudança no projeto será a troca das casas de gesso por alvenaria ou cimento armado, atendendo a uma reivindicação das famílias de Tatuoca.


“Não consigo entender como a CPRH aprova a derrubada de mangue e de mata atlântica para construir os estaleiros, mas empombou com a construção da agrovila por conta de um metro de terra. O governo moveu céu e terra pra aprovar a lei de supressão vegetal e colocar os estaleiros aqui, mas passa quatro anos para resolver o problema dos pescadores”, reclama o presidente da Associação de Moradores da Ilha de Tatuoca”, Edson Silva.


Questionada pela reportagem do JC sobre o embargo à agrovila, a CPRH se limitou a responder, por meio de sua assessoria de comunicação, que “está no aguardo da entrega, por parte do empreendedor (SUAPE), de uma adequação do projeto, de maneira a viabilizar a sustentabilidade da intervenção pretendida”.

A demora na construção do condomínio também impôs outro desafio ao governo do Estado. Em quatro anos, o número de famílias cresceu. Antes eram 51 e agora são 72. “As pessoas casaram, tiveram filhos e construíram suas casas”, diz Edson. A diretoria de SUAPE ingressou na Justiça com pedido de reintegração de posse para essas residências.

A construção do Estaleiro Promar coloca em xeque a permanência de 12 casas diretamente impactadas pela obra. Os moradores reclamam que as dragagens realizadas no local escasseou a pesca, fez sumir a água das cacimbas e aumentou o percurso que os moradores precisam fazer para sair da ilha. Alheiros nega que a dragagem tenha influência sobre as cacimbas e diz que a estrada em construção no local foi um pedido dos moradores. “A dragagem não interfere no lençol freático. Esse problema da água deve ser um fenômeno natural”, defende. Discussões técnicas à parte, o diretor de Suape admite que a presença de dois estaleiros na “cozinha” dos ilhéus é inadequada, por se tratar de uma atividade de indústria pesada incompatível com uma vizinhança residencial.

domingo, 13 de novembro de 2011

Aline Barros da MK Music ganha Grammy Latino 2011


Publicado por Shaiala Marques em 11 de novembro de 2011 (Gnoticias - Gospel+)



A cantora gospel Aline Barros foi premiada com o Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa” por “Extraordinário Amor de Deus”. O álbum, que foi o único trabalho de música evangélica indicado, recebeu recentemente o disco de diamante.

A cerimônia de premiação ocorreu ontem (10) em Las Vegas, Estados Unidos. Por ter recentemente dado a luz à sua pequena Maria Catherine, o esposo da cantora, o pastor Gilmar Santos, foi representá-la na cerimônia.

Gilmar falou em um belo espanhol um agradecimento a Deus, à gravadora MK Music, à igreja onde o casal congrega e seus pastores, aos seus pequenos filhos e, é claro, à Aline – que disse não ser apenas uma cantora, mas uma grande mulher de Deus.

Esta foi a quinta indicação da cantora ao Grammy Latino e a quarta vez em que leva o prêmio para casa.

Veja no link abaixo o vídeo do momento em que Aline Barros é declarada vencedora do Grammy Latino:



Fonte: Gospel+
Com informações e vídeo de MK Music

sábado, 12 de novembro de 2011

Estados Unidos reafirmam oficialmente a frase “Em Deus confiamos” como lema do país





Publicado por Renato Cavallera em 12 de novembro de 2011 (Gospel+)


A frase “In God We Trust” (Em Deus Confiamos) tem causado controvérsia ao longo dos anos como o lema nacional. Mas na terça-feira, o Congresso dos EUA aprovou, por 396 a 9, uma resolução que autoriza a permanência da frase como lema nacional.

A resolução, liderada pelo deputado J. Randy Forbes (R-VA), apoia e incentiva exibir o lema, em todas as escolas públicas e edifícios governamentais. É uma resolução simultânea, porque em 2006 o Senado aprovou uma resolução similar para os 50 aniversário do lema “In God We Trust” como sendo de domínio nacional.

Forbes, co-presidente do Congresso Oração Caucus(foto), disse em um comunicado segunda-feira: “Amanhã, a Câmara dos Deputados terá a mesma oportunidade para reafirmar o nosso lema nacional e confrontar diretamente uma tendência preocupante de imprecisões e omissões, mal-entendidos entre Igreja e Estado , ante aos esforços para remover Deus do domínio público por burocratas não eleitos.

À medida que nossa nação enfrenta tempos difíceis, é apropriado para membros do Congresso da nossa nação-como nossos antecessores declarar com firmeza a nossa confiança em Deus, acreditando que ele vai nos sustentar para as gerações vindouras”, acrescentou.

Forbes afirmou que, “em tempos de desafio nacional ou tragédia, o povo dos Estados Unidos voltaram-se para Deus como sua fonte de sustento, proteção, força, sabedoria e direção.”

O lema nacional já foi contestada antes. Em 1994, a Freedom From Religion Foundation (Fundação em defesa da religião). ajuizou ação questionando a frase como lema da nação e seu uso em moeda. A ação foi julgada improcedente em razão de que “In God We Trust” não é uma frase religiosa. A organização ateu recorreu da decisão no Supremo Tribunal dos EUA em 1996, mas o tribunal não revogou a decisão.

A frase tornou-se oficialmente o lema nacional em 1956. Ela começou a aparecer em papel-moeda no ano seguinte, mas “In God We Trust” apareceu pela primeira vez em moedas dos EUA em 1864 durante a Guerra Civil.




Fontes: O Diário / Gospel+

Quem matou o cinegrafista da Band ?




O primeiro suspeito é a empresa, a Band, que autoriza seus profissionais a assumir riscos que nenhum jornalista deve assumir.

Jornalista não é policial.

O segundo suspeito é o diretor de jornalismo da Band, que, provavelmente, não fez seguro de vida para a família do cinegrafista.

O terceiro suspeito é, de novo, o diretor de jornalismo da Band, que permite transformar jornalistas em protagonistas: jornalista não compete com policial nem com traficante pelo protagonismo de uma reportagem.

Além do mais, para o espectador, que diferença faz se as imagens de um tiroteio com traficantes são do cinegrafista da Band ou da própria polícia ?

E mais: por que novas imagens de tiroteio com traficantes ?

Que novidade têm ?

Que informação adicional dá ao espectador ?

Qual a diferença entre o tiroteio de ontem e o tiroteio de hoje ?

Por que os cinegrafistas só filmam da perspectiva da polícia para os traficantes e, não, dos traficantes para a Polícia ?

Porque o jornalismo brasileiro não sobe o morro.

Só entra na favela com a cobertura da Polícia.

O que se passa lá dentro – para o bem ou para mal – não interessa.

O quarto suspeito é o policial que autorizou três equipes de televisão a acompanhar um tiroteio com traficantes.

O quinto suspeito é o Comandante da PM que permitiu que um policial admitisse que três equipes de televisão acompanhassem um tiroteio com traficantes.

O sexto suspeito é o Secretário de Segurança do Rio, que permite que uma ação policial se transforme numa reportagem espetaculosa.

Para o Bom (?) Dia Brasil, porém, num mau passo do Chico Pinheiro, a morte do cinegrafista da Band é uma restrição à liberdade de imprensa.

O tom da cobertura do Bom (?) Dia Brasil foi o de incriminar a política de segurança do Rio.

Como se sabe, a política de segurança do Rio é exemplar.

Combate o tráfico como nenhuma outra do Brasil – como se sabe, São Paulo consome mais carro, geladeira e viagens a Disney que o Rio, mas, cocaína, isso o Rio consome mais.

O projeto pioneiro das UPPs é um sucesso.

Mas, a política de segurança do Rio tem um grave defeito para o jornalismo dirigido pelo Ali Kamel, esse baluarte da liberdade de imprensa para divulgar atentados com bolinhas.

A segurança do Rio não é a do Governo Carlos Lacerda.

Nos bons tempos do Lacerda, o Secretário de Segurança Ardovino Barbosa mandava bater em jornalistas.

Como os do jornal A Noite, na Cinelândia, em 1961, na crise da Legalidade.

(O ansioso blogueiro era foca da Noite e testemunhou a “liberdade de imprensa” dos lacerdistas.)


Paulo Henrique Amorim (www.conversaafiada.com.br)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Pernambuco em Desenvolvimento





Notícias do dia
11/11/2011


Jornal do Commercio
Economia
11/11/2011


Estaleiro Atlântico Sul amplia as demissões
De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal-PE), mais 500 profissionais estão sendo desligados da empresa desde a quinta-feira



Depois de demitir cerca de 750 trabalhadores nos últimos dois meses, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) está cortando mais trabalhadores esta semana. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal-PE), mais 500 profissionais estão sendo desligados da empresa desde a quinta-feira (10). Os funcionários temem novas demissões e indicam que trabalhadores de fora do Estado estão sendo admitidos pelo estaleiro com salários mais elevados. Em nota de esclarecimento, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) afirma que os desligamentos ocorrem devido "à finalização das obras do navio petroleiro João Cândido e do casco da plataforma P-55", que devem ser entregues em dezembro, mas a empresa não se pronunciou sobre o número de demissões nem quantos profissionais são admitidos em média.


Segundo o representante do Sindmetal-PE, Ezequiel dos Santos, pernambucanos estão sendo substituídos por trabalhadores do Rio de Janeiro e da Bahia. "Soubemos que o estaleiro tem a meta de demitir cerca de 4 mil pessoas para substituir por profissionais de fora com salários maiores em até três vezes. Pelos nossos cálculos, cerca de 1.200 trabalhadores já foram demitidos, sendo cerca de 85% de pernambucanos".


No último dia 15 de setembro houve conflito de trabalhadores grevistas do EAS com a Polícia Militar no Complexo Industrial Portuário de Suape. Uma semana depois, 350 pessoas foram demitidas. No início deste mês, o motivo dos novos cortes não foi informado pela empresa aos trabalhadores. Mas as demissões ocorreram da mesma forma.


O Estaleiro Atlântico Sul está com atraso nas suas encomendas. O navio João Cândido deveria ter sido entregue em setembro. Na última data adiada, o EAS explicou em nota à imprensa que o acabamento do navio teve atrasos "provocados por um movimento grevista conduzido por um grupo minoritário de funcionários, à revelia da campanha salarial da categoria dos metalúrgicos e do Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco (Sindimetal-PE)". A plataforma P-55 deveria ter sido entregue em junho passado. O Atlântico Sul tem a maior carteira de encomendas do País, estimada em US$ 8,1 bilhões. Para a Transpetro, são 22 navios, além das encomendas diretas da Petrobras: o casco da P-55 e sete navios-sonda.



Folha de Pernambuco
Economia
11/11/2011



Carros desembarcarão no Porto do Recife



A montadora de motos chinesa Shineray está inovando e aumentando seu leque de produtos: a empresa começará a vender carros no Brasil, a partir do próximo mês. Ao fazer isso, também está fazendo história no Porto do Recife, já que na próxima quarta-feira, o terminal receberá o primeiro desembarque de automóveis em anos. Serão 400 veículos oriundos do país asiático. Do total, serão 100 trucks, 100 furgões e 200 mini caminhões. Após o recebimento, os veículos ficarão no Porto até serem encaminhados para as concessionárias pré-autorizadas para comercializá-los. O valor total da mercadoria, ainda sem impostos, é de US$ 2 milhões.



“Depois que saírem do Porto, serão levados para concessionárias localizadas no Recife, em Caruaru e Olinda. Fora de Pernambuco, eles devem ir para Salvador, João Pessoa e Natal. Todos esses carros chegarão pelo Porto do Recife”, contou o diretor da Shineray, Paulo Perez. Os carros usados para serem apresentados aos revendedores chegaram ontem à Capital pernambucana. “A partir do dia 15 de dezembro, os carros já serão distribuídos. A ideia é que eles comecem a ser vendidos de imediato”, apontou Perez.




Via Porto do Recife



Após a retomada do recebimento de navios de contêineres, que ocorreu no mês passado, o Porto de Recife se prepara para atender a mais um mercado promissor: a chegada de veículos ao Estado. No próximo dia 16, um navio com 400 carros vindos da China desembarcam no Porto recifense. Os veículos são da Shineray e ficarão estocados no ancoradouro para, em seguida, serem levados para as concessionárias de Pernambuco, Bahia e da Paraíba. A operação chama a atenção por dois motivos: o início da venda de carros da marca e o descarregamento de veículos no Porto do Recife, que há anos não acontecia. A Shineray poderia ter escolhido o Porto de Suape, afinal é por lá que é realizado todo o descarregamento das motocicletas da marca. Mas, neste caso, não seria vantagem. Realizando a operação pelo Porto do Recife, os veículos serão conduzidos direto para um pátio alfandegário. Em Suape, a operação seria três vezes mais demorada. E, mais uma vez, o Porto de Suape perdeu espaço. Sim porque esta não é a primeira vez que existe a preferência. E não adianta o Porto de Suape achar ruim. A demanda existe e precisa ser atendida. É a prova de que o Porto do Recife ressurgiu e os investidores estão de olho. Esta é a apenas a primeira de muitas encomendas.



Novo mercado - A Shineray irá começar a atuar no mercado automobilístico no Brasil. Por enquanto, a marca comercializa, apenas, motocicletas. O navio vindo da China trará vans de passeios, furgões e mini-caminhões. A ideia é que os automóveis sejam distribuídos pelas 112 revendas da marca no Brasil. E, se tudo correr bem, a vinda de carros será realizada mensalmente. Sempre pelo Porto do Recife.



Resultado deve sair hoje

O Governo do Estado espera saber hoje onde a fábrica da Volkswagen será instalada. Pernambuco está na disputa com mais cinco estados. Segundo fontes do setor, a escolha pelo Estado é quase certa, restando apenas alguns detalhes financeiros. O investimento na planta é de R$ 2 bilhões. Entre as propostas estão terrenos no Cabo de Santo Agostinho, Goiana e Caruaru

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Noticias do dia



Notícias do dia
10/11/2011


Blog Ne10
Pernambuco Investimento
10/11/2011

Alfândega do Porto de SUAPE lança edital para leilão de mercadorias


A Alfândega do Porto de SUAPE lançou edital no Diário Oficial da União para divulgar o 2º Leilão Eletrônico de Mercadorias Apreendidas, que deve acontecer no próximo dia 24 de novembro.

Entre as mercadorias a serem leiloadas, estão produtos eletrônicos e de informática, contêineres, videogames, barcos e outros. Pessoas Jurídicas regularmente constituídas, inscritas no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e portadoras de certificado digital válido podem participar.

As propostas de compra poderão ser feitas de 14/11 a partir das 9h até 23/11 até as 18h, sempre no horário de Brasília. No dia 24/11 será aberta a Sessão Pública para lances.

O edital completo com todas as informações sobre o leilão encontra-se disponível no endereço:

http://www.receita.fazenda.gov.br/DestinacaoMercadorias/Leiloes/Previsao/pe.htm

---------------------------------------------------------------------------------

Após três mandatos e muitos escândalos, Berlusconi anuncia enfim sua renúncia
9/11/2011 12:53, Por Redação, com agências internacionais- de Roma




O primeiro-ministro Silvio Berlusconi confirmou nesta quarta-feira que renunciará após implementar reformas econômicas urgentes que a União Europeia exige da Itália, e defendeu que o país em seguida realize eleições antecipadas, nas quais ele não concorreria.
-Precisamos dar à Europa e ao mundo um sinal urgente e forte de que estamos levando as coisas a sério-, disse ele por telefone a um programa matinal de TV.
Na manhã desta quarta-feira, o presidente italiano, Giorgio Napolitano, pediu um compromisso imediato para a adoção das reformas de modo a restaurar a confiança dos mercados.
Berlusconi anunciou sua renúncia na noite de terça-feira, após uma votação na Câmara dos Deputados deixar claro que ele havia perdido a maioria parlamentar. Mas ele disse que permanecerá no cargo até que o Parlamento aprove reformas orçamentárias que ajudem a Itália a lidar com sua dívida.
Após vários anos enfrentando uma série de escândalos sexuais, denúncias de corrupção e brigas com aliados, foi a economia que acabou por derrubar Berlusconi. Acuado pelos mercados, ele disse que sua decisão de renunciar seria “um gesto de responsabilidade” para o país.
Mas ele declarou ser contra a formação de um governo provisório comandado por tecnocratas, ou de um gabinete de união nacional – como querem a oposição e muitos agentes dos mercados. Para ele, a única alternativa seria antecipar eleições.
Em entrevista ao jornal La Stampa, Berlusconi propôs que elas fossem realizadas em fevereiro, e lançou como candidato o ex-ministro da Justiça Angelino Alfano, secretário do seu partido, o PDL.
-Eu renuncio assim que a lei (orçamentária) for aprovada, e, como acredito que não há outra maioria possível, vejo eleições sendo realizadas no começo de setembro, e nelas não serei candidato-, afirmou.
A demora de Berlusconi para deixar o cargo é excepcional na Itália, e vários jornais de esquerda sugeriram que ele poderia estar tentando ganhar tempo, e que acabaria por não renunciar. Mas na quarta-feira todas as suas entrevistas foram no sentido de confirmar a saída.
Alguns comentaristas dizem que o fato de Napolitano ter anunciado a renúncia de Berlusconi em nota oficial torna muito difícil para Berlusconi voltar atrás. A prioridade dele, agora, seria manter sua coalizão de centro-direita no poder.
Câmara e Senado devem votar neste mês as reformas orçamentárias, mas talvez a oposição tente antecipar o processo para apressar o fim do governo de Berlusconi, um extravagante magnata da mídia, que há 17 anos domina a política italiana.
Quando um governo cai, é dever do presidente apontar um novo líder para tentar construir uma maioria parlamentar, ou convocar eleições. Napolitano disse que vai iniciar as consultas com os partidos depois da aprovação das medidas orçamentárias.
Embora o partido de Berlusconi queira novas eleições, a oposição deseja a formação de um governo de união nacional.
No entanto, o primeiro-ministro deve esperar a aprovação do pacote para somente depois dar início às consultas aos grupos políticos italianos sobre o futuro do país.
Juros
O anúncio de Berlusconi não adiantou para evitar a disparada nos custos da dívida italiana, cujos títulos de dez anos já estão pagando mais de 7% de juros anuais, patamar considerado limite para evitar um calote do governo.
Este é o maior nível do custo de endividamento da Itália desde a criação do euro, em 1999.
Enquanto isso, uma delegação da União Europeia (UE) está em Roma nesta quarta-feira para observar as medidas tomadas pela Itália para evitar o agravamento da crise na zona do euro.
As autoridades querem saber, entre uma longa lista de itens, como o governo planeja vender estatais, como vai reduzir sua enorme dívida e como pretende cortar o déficit previdenciário.
O Comissário da União Europeia para Assuntos Econômicos, Olli Rehn, descreveu a situação italiana como “muito preocupante”.
Dívida astronômica
Teme-se que as dúvidas sobre a capacidade italiana de honrar os compromissos de sua dívida astronômica gerem uma crise política como a que está abalando a Grécia.
No entanto, analistas veem a situação com maior preocupação do que episódios passados da crise europeia. Isso porque a Itália é a terceira maior economia da zona do euro.
Segundo Gavin Hewitt, editor para Europa da BBC, a crise italiana pode ser explicada de uma maneira simples: os mercados duvidam que Berlusconi tenha credibilidade para implementar as reformas que reduzirão a dívida do país e gerarão crescimento.
Sem isso, investidores consideram que o país está se encaminhando para um cenário em que os custos de tomar empréstimo se tornarão insustentáveis e em que o país precisará de um pacote de resgate.
O problema, para Hewitt, é que a economia italiana é tão grande – em comparação com Grécia, Irlanda ou Portugal – que a zona do euro não terá capacidade de agir.
Fortuna e poder
Assim, com os indicadores econômicos jogando claramente contra o país, aumentaram as chances de a crise econômica acabar com a carreira política de Berlusconi – o protagonista da política italiana nas últimas duas décadas.
Após três mandatos, ele é o primeiro-ministro há mais tempo no poder na Itália do pós-guerra, assim como um dos homens mais ricos do país.
O premiê de 75 anos e sua família acumularam uma fortuna estimada pela revista Forbes em US$ 9 bilhões (R$ 14,9 bilhões).
No entanto, desde que Berlusconi voltou ao poder, em 2008, a economia está em crescente tensão, com uma dívida nacional de 1,9 trilhões de euros (R$ 4,5 trilhões).
Empreendedor
O talento empresarial de Berlusconi – evidente em um império que se estende pelas áreas de mídia, publicidade, seguros, alimentação e construção – se tornou prova suficiente para muitos italianos de que ele seria apto para governar também o país.
O premiê também é dono de um dos clubes de futebol mais bem sucedidos da Itália, o Milan, e sua empresa de investimentos controla três das maiores redes de TV privadas do país. Como primeiro-ministro, ele tem ainda o poder de nomear os chefes dos três canais públicos da rede RAI.
Durante seu governo, Berlusconi conseguiu driblar uma série de escândalos sexuais, políticos e de corrupção, mas o fluxo constante de acusações contra ele fez com que muitos aliados e amigos se afastassem.
Sua segunda mulher, Veronica Lario, pediu divórcio em maio de 2009 e disse a um jornal que ela não poderia ficar com um homem que “se envolve com menores”.
Em novembro de 2010, seu ex-aliado político Gianfranco Fini pediu que ele renunciasse, quando surgiram revelações sobre uma dançarina marroquina adolescente chamada Ruby.
Batalhas legais
Nascido em Milão, Berlusconi sempre afirmou que estava sendo perseguido pelas autoridades da cidade.
Ele foi acusado de desvio de verbas, de fraude fiscal e contábil e de tentativa de subornar um juiz, mas negou ter cometido qualquer crime e nunca foi condenado de forma definitiva.
Vários destes casos foram a julgamento. Em alguns deles, Berlusconi foi absolvido e em outros, foi condenado, mas o veredicto foi derrubado com recursos. Outras vezes, limitações legais fizeram com que os casos fossem abandonados.
Em 2009, o premiê estimou que em 20 anos ele havia comparecido 2,5 mil vezes a cortes, em 106 julgamentos, com um custo legal de 200 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões).
Seu governo aprovou reformas que alteravam a definição legal de fraude, mas parte de uma lei de 2010 que dava a ele e a outros ministros imunidade temporária foi derrubada pela Corte Constitucional da Itália, que deixou a decisão final a cargo dos juízes.
Nascido no dia 29 de setembro de 1936, Silvio Berlusconi começou sua carreira vendendo aspiradores de pó, e trabalhou como cantor em clubes e cruzeiros.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Pernambuco em Desenvolvimento



Foto: Fábrica da Volkswagen em Curitiba - Paraná

Notícias do dia
09/11/2011



Diário de Pernambuco
Diário econômico
09/11/2011


Capacitação pela refinaria
Petrobras e parceiros fecham convênio com oito municípios para ajudá-los a viabilizar projetos prioritários





Os oito municípios do entorno da Refinaria Abreu e Lima e da PetroquímicaSuape vão receber capacitação e assistência técnica para viabilizar projetos prioritários na área de infraestrutura urbana e social, como saneamento e habitação. Os convênios foram assinados ontem durante uma cerimônia em Porto de Galinhas, Ipojuca. Além desse município, serão beneficiados Cabo de Santo Agostinho, Escada, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Ribeirão, Rio Formoso e Sirinhaém.


O Convênio Excelência na Gestão de Investimentos envolve Petrobras, Fundação Getulio Vargas (FGV), Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal. O gerente executivo da Diretoria de Abastecimento da Petrobras, Francisco Pais, diz que a expectativa é a de que os primeiros projetos sejam encaminhados no início de 2012 para que as prefeituras possam acessar rapidamente recursos não reembolsáveis e financiamentos.


Segundo Pais, o potencial de captação de recursos das prefeituras é de R$ 711 milhões, embora considere esse número conservador. “Provavelmente vamos ter muito mais”, aposta. Para tanto, a Petrobras investirá R$ 60 milhões para que os municípios elaborem os projetos conceituais, considerando aqueles situados no entorno da Refinaria Abreu e Lima e da PetroquímicaSuape e também do Comperj e das refinarias Premium I (MA) e Premium II (CE).


“Esse convênio é uma oportunidade de mitigar os impactos que ocorrem em função da implantação desses grandes empreendimentos. É algo inédito no Brasil e vamos trabalhar com determinação para que ele se concretize”, afirma Francisco.


Falando em nome de todos os colegas, o prefeito de Ipojuca, Pedro Serafim, destacou que os investimentos que estão chegando à região representam também um desafio às prefeituras. “Lá atrás tem uma população que viveu e ainda vive em extrema pobreza, então precisamos trazer essas pessoas para usufruir desse boom que está acontecendo”, discursou, acrescentando que seu município já está sofrendo com invasões e favelização.


A Refinaria Abreu e Lima está orçada em US$ 14 bilhões (cerca de R$ 24 bilhões) e, quando pronta, em 2013, terá capacidade para processar 200 mil barris diários de petróleo. De acordo com o presidente Marcelino Guedes, cerca de 32 mil trabalhadores atuam hoje na obra, número que deve chegar a 38 mil em março de 2012. O projeto está com 40% de execução.


“Um projeto como esse pode trazer muitos problemas para os municípios, como prostituição, drogas, alcoolismo e gravidez na adolescência. Então ele não pode ser uma bolha, temos de perenizar esse investimento com ações nas áreas social, cultural, ambiental e de infraestrutura”, justificou. Já a PetroquímicaSuape é um projeto de R$ 4,9 bilhões e abriga três unidades: PTA, PET e fios de poliéster. Essa última está em pré-operação desde junho de 2010 e as outras duas devem começar a operar em 2012.

TCU aponta irregularidades



Brasília e Recife – O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou ontem o relatório Fiscobras 2011, que recomenda a paralisação de 26 obras federais, entre elas a da Refinaria Abreu e Lima, em Suape. Outras três têm o pedido de interrupção pendente de apreciação. A “lista negra” será enviada ao Congresso Nacional para subsidiar a Comissão Mista de Orçamento (CMO) sobre a distribuição de recursos orçamentários.


Entre as irregularidades graves encontradas estão superfaturamento e projetos básicos deficientes ou desatualizados. O relatório também destaca a restrição ao caráter competitivo de licitações. Além da refinaria que a Petrobras constrói no estado, o TCU chamou a atenção para a ferrovia Norte-Sul, no Tocantins, a implantação da linha 3 do metrô, no Rio de Janeiro, e o contorno rodoviário de Maringá, no Paraná. Também foi recomendada a paralisação da construção da BR-440, em Minas, obra que, no entanto, não faz parte do Fiscobras.


“Vamos dar todas as informações solicitadas. Se preciso iremos ao TCU esclarecer todos os pontos. Alguns são repetitivos, outros não. É uma obra importante para o Brasil e não podemos parar. Um dia parado para a gente é muita coisa”, declarou Marcelino Guedes, presidente da Refinaria Abreu e Lima, ao saber da recomendação do tribunal.


Balanço


Neste ano foram fiscalizadas 230 obras por meio do relatório, e as correções propostas podem gerar benefícios de até R$ 2,6 bilhões aos cofres públicos. O valor fiscalizado chega a R$ 36,7 bilhões. Do total, apenas oito obras foram aprovadas sem ressalvas. Completam a lista sete obras com indícios de irregularidades graves com recomendação de retenção parcial de valores; 155 com indícios de irregularidade grave com recomendação de continuidade; e 31 com indícios de outras irregularidades.


De todas as obras fiscalizadas, a maioria é do transporte (51%), mas em termos orçamentários, lidera o setor de energia, com 64% dos recursos fiscalizados, principalmente devido às obras da Petrobras. Por região, há 69 obras no Nordeste, totalizando R$ 16,2 bilhões fiscalizados. Em seguida vem Sudeste (60 obras - R$ 14,5 bilhões), Centro-Oeste (35 obras - R$ 2,5 bilhões), Norte (36 obras - R$ 2 bilhões) e Sul (30 obras - R$ 1,5 bilhão).



Volkswagen nega prazo


Contrariando as expectativas locais, a Volkswagen negou ontem, através de sua assessoria, que exista um prazo para divulgação de uma nova fábrica no Brasil, ato que era esperado até sexta-feira. Segundo a montadora, não há um calendário fechado. Extraoficialmente, fala-se que o investimento no projeto é da ordem de US$ 2 bilhões, e que a fábrica teria capacidade de produzir 200 mil veículos por ano. Pernambuco concorre com outros cinco estados.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Noticias do dia

Notícias do dia
08/11/2011



Folha de Pernambuco
Economia
08/11/2011


Começa dragagem no Porto de SUAPE

Área com mais profundidade permitirá operação de grandes navios petroleiros


O Complexo Industrial Portuário de Suape (Complexo Governador Eraldo Gueiros) completou 33 anos ontem e o Governo do Estado aproveitou a data para iniciar a obra estrutural de dragagem do canal de acesso externo do porto. O processo consiste em aumentar a profundidade da área, que tem seis quilômetros de extensão por 210 metros de largura, de 16 para 20 metros, assim permitindo a operação de grandes navios petroleiros e gaseiros que vão atender à produção da Refinaria Abreu e Lima. O prazo de conclusão é de 24 meses.


Exatos R$ 278.194.966,73 serão investidos no processo, verba que somada a tantos outros montantes fazem de Suape o maior polo de investimentos do País: R$ 1,2 bilhão em obras em andamento. Até 2014, a verba total deverá chegar à soma de R$ 4 bilhões.


A cerimônia comemorativa teve participação do governador Eduardo Campos, do secretário de Desenvolvimento Econômico Geraldo Júlio e do ministro da Secretaria de Portos, Leônidas Cristino. Do total, R$ 200 milhões são do Governo de Pernambuco (verba de antecipação da receita da Petrobras); o restante, da Secretaria, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).


A empresa Van Oord é a responsável pelo aprofundamento e usa uma draga holandesa nessa primeira etapa, de retirada de areia. Trata-se de uma draga autotransportadora que estoca terra e a joga no oceano - mas no caso de Suape, a ideia é reaproveitar essa areia para aterramento do cluster naval. É a mesma máquina que está sendo usada na dragagem da área da ilha de Tatuoca onde ficará o estaleiro Promar. Segundo explicação do diretor de Engenharia e Meio Ambiete de Suape, Victor Vieira, ao todo, serão retirados quatro milhões de metros cúbicos (m³) de areia e rochas. Depois da dragagem de pedras (segunda etapa), serão feitas explosões e, só depois, a conclusão do processo, com a retirada das pedras restantes.



VOLKS


Pernambuco teria oferecido qua­tro opções de local para a possível instalação de uma fá­brica da Volkswagen. Em um breve comentário, o secre­tário Geraldo Júlio falou de Suape e Goiana, mas não confirmou Caruaru como destino. Mas de acordo com a assessoria da prefeitura de Caruaru, há um mês e meio, por recomendação do governador, a prefeitura fez uma apresentação que destacou o potencial da cidade. Dentre os fatores técnicos favoráveis, fo­ram pontuadas as duas BRs à disposição (uma duplicada, a BR 232, e outra que será, a BR 104). Além disso, terá um ra­mal da Ferrovia Transnordestina no seu entorno, que passará pela cidade de Agrestina.




R$ 26 mi para ampliar terminal


Começaram ontem as obras para ampliação e reforma do Terminal Marítimo de Passageiros (TMP) do Porto do Recife. Serão quase R$ 26 milhões investidos para que os mais de três mil metros do local seja um verdadeiro complexo que reúna serviços, cultura, agilidade e segurança no mesmo padrão dos grandes aeroportos mundiais. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Geraldo Júlio, o montante atenderá toda a infraestrutura de um aeroporto, que inclui áreas de controle de embarque e desembarque, esteiras, entre outros. “Outro pleito do Estado, de mais R$ 60 milhões, será usado para que os 500 metros de cais, referente à extensão dos armazéns 7 e 8, possam receber até três navios de passageiros ao mesmo tempo. O investimento de ambos será dividido entre governo do Estado e secretaria dos Portos”.


O ministro dos Portos, Leônidas Cristino, citou a demanda da presidente Dilma Roussef. “O Governo Dilma está investindo mais R$ 700 milhões na reestruturação de sete portos de cidades que irão sediar o mundial em 2014. Pernambuco é o primeiro estado a começar as mudanças e me deixa muito otimista”, comentou. Segundo o governador do Estado, Eduardo Campos, já que se trata do primeiro porto a dar início a projetos que atenderão a demanda do mundial de futebol, em 2014, quer ser pioneiro também na entrega da obra. “Nosso objetivo é entregar o porto com estrutura suficiente para o fluxo de turistas já para a copa das confederações, em 2013”, garantiu. O ministro ratifica o desejo. “O Recife terá seu porto pronto em março ou abril de 2013. Serão oito mil leitos para reforçar o turismo da cidade em um momento com extrema circulação de pessoas”, completou.


“Antes da requalificação da estrutura portuária, será erguida a Sala Pernambuco, com cerca de 900 m², ligada ao Terminal Marítimo por uma passarela suspensa. As obras nesse ponto não atrapalharão as atividades no Porto”, disse o presidente do Porto do Recife, Pedro Mendes. É nesse espaço, de três pavimentos, que estão localizadas as salas dos postos avançados da Polícia Federal, Receita Federal e Anvisa. No local também está prevista uma grande arena. “É um espaço de sedução, pensado para despertar o interesse e a curiosidade de quem passa por lá”, conta o arquiteto Moises Andrade, que assina o projeto arquitetônico do novo Terminal.



O Porto de Suape completou, ontem, 33 anos. Como presente, o Governo do Estado assinou a ordem de serviço que autoriza o início das obras da dragagem e derrocagem do canal de acesso externo do Porto de Suape. Agora, se por um lado, a obra irá tornar Suape mais competitivo, por outro, o processo é danoso ao meio ambiente. Isso porque, entre as etapas da dragagem está a explosão de rochas para que a profundidade chegue a 20 metros.


Cuidando dos municípios



Prefeitos dos municípios da área de influência da Refinaria Abreu e Lima e da PetroquímicaSuape irão aderir hoje ao convênio Excelência na Gestão de Investimentos. A ideia é prestar assistência técnica e promover a capacitação dos municíios para viabilizar a implantação de projetos de infraestrutura na região. O convênio é uma parceria da Petrobras, com o Ministério das Cidades, a Caixa Econômica Federal e a FGV




Diário de Pernambuco
Diário econômico
08/11/2011


Volks tem opções em 4 cidades
Montadora anuncia até sexta-feira onde será a nova fábrica. Pernambuco ofereceu várias localizações



Nova fábrica da Volkswagen no Brasil teria como carro-chefe o compacto Up!, lançado em setembro em Frankfurt. Imagem: VOLKSWAGEN/DIVULGACAO/D.A PRESS
AVolkswagen deve anunciar até sexta-feira se vai mesmo construir uma nova fábrica no Brasil e que estado escolheu para instalar o empreendimento. A empresa analisa várias opções, inclusive Pernambuco. O governo do estado enviou todas as informações solicitadas e ofereceu pelo menos quatro localizações possíveis para a planta. Além de Suape, comenta-se que teriam sido oferecidas áreas em Goiana, na Mata Norte, e até mesmo em Caruaru, no Agreste.


“A reunião deles acontece amanhã (hoje) e nós estamos aguardando. Até sexta eles devem anunciar. Solicitaram informações adicionais e nós enviamos”, comentou ontem o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, ao participar da cerimônia de início das obras de dragagem e derrocagem de aprofundamento do canal de acesso do porto externo de Suape.


Informações extraoficiais dão conta de que o projeto da Volkswagen estaria orçado em US$ 2 bilhões (cerca de R$ 3,5 bilhões) e teria capacidade para produzir 200 mil veículos/ano. A nova fábrica teria como carro-chefe o compacto Up!, lançado no Salão de Frankfurt em setembro. Oficialmente, seis estados disputam a nova planta, caso a gigante alemã decida construir uma nova unidade ao invés de expandir a capacidade das fábricas já existentes, o que também vem sendo cogitado.


No fim de outubro, a montadora distribuiu uma nota à imprensa afirmando apenas que “vem realizando um levantamento preliminar de informações junto a diferentes estados e não há, portanto, qualquer definição sobre o assunto”. Atualmente a Volkswagen produz cerca de 3,6 mil veículos/dia no Brasil.


No dia 10 de outubro, executivos da Volkswagen, do Brasil e da Alemanha, estiveram reunidos com equipes técnicas do governo do estado e à noite participaram de um jantar com o governador Eduardo Campos no Palácio do Campo das Princesas. Comenta-se, inclusive, que Eduardo já teria visitado secretamente a fábrica de São Bernardo do Campo (SP).
Vindo para Pernambuco, a Volkswagen poderia se beneficiar de todo o parque de sistemistas que já está em formação no estado por causa da fábrica da Fiat, que escolheu o município de Goiana para instalar sua segunda unidade no Brasil. O projeto está orçado em R$ 4 bilhões, com expectativa de gerar 4,5 mil empregos diretos. Considerando a fábrica e um primeiro nível de sistemistas com cerca de 20 empresas, o valor do investimento sobe para R$ 7,2 bilhões. A entrada em operação está prevista para março de 2014.



SUAPE terá R$ 4 bilhões até o ano da Copa
Volume de recursos previsto até 2014 põe o porto entre os três que mais recebem investimentos no país




Suape deve receber R$ 4 bilhões de investimentos públicos em infraestrutura até 2014. O volume é quase quatro vezes maior do que o que foi investido entre 2007 e 2010 (R$ 1,1 bilhão). O principal porto pernambucano está entre os três que mais recebem recursos federais no país, atrás somente de Santos e do Rio de Janeiro. Ontem, foi iniciada mais uma obra estratégica: a dragagem e derrocagem de aprofundamento do canal de acesso do porto externo, orçada em R$ 278 milhões.


A dragagem possibilitará um aumento de quatro metros na profundidade do canal, que tem seis quilômetros e extensão, passando de 16 metros para 20 metros. A obra, que deverá estar concluída até o fim de 2012, vai permitir a entrada de embarcações de grande porte, como navios de minérios e os petroleiros que vão abastecer a Refinaria Abreu e Lima a partir de 2013.


“Estamos colocando recursos para ampliação dos portos nacionais e o Porto de Suape não poderia ficar de fora. Os dados de Suape são impressionantes, o que demonstra que esse porto a cada mês e a cada ano vai se tornando mais importante para o desenvolvimento econômico brasileiro”, justificou o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, lembrando que 95% das riquezas do país saem por via marítima.


O governador Eduardo Campos destacou que a dragagem é a segunda obra de maior valor já executada em Suape. A primeira foi o píer petroleiro, orçada em R$ 360 milhões e concluída em janeiro deste ano. Tanto o píer quanto a dragagem fazem parte de um pacote de R$ 475 milhões acertado com a Petrobras a título de antecipação de receitas. Ou seja, esse valor será descontado das tarifas portuárias que a empresa terá de pagar a Suape quando a refinaria estiver funcionando.


No caso da dragagem, R$ 200 milhões saem dessa parceria entre governo do estado e Petrobras e R$ 78 milhões do governo federal, através da Secretaria Especial de Portos. A obra está a cargo da empresa holandesa Van Oord, que trouxe de Amsterdã a draga Lelystad. Em fevereiro devem chegar outros equipamentos.


“Essa obra que se inicia hoje (ontem) complementa essa infraestrutura que já conta com o píer petroleiro, possibilitando a chegada, atracação e descarrego do petróleo bruto que será processado na refinaria”, completou Eduardo, pouco antes de participar do corte simbólico do bolo em comemoração aos 33 anos de Suape.


O secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, aproveitou a ocasião para antecipar alguns dados ainda não divulgados da movimentação de cargas em Suape. Segundo ele, em outubro o complexo industrial portuário bateu recorde pelo terceiro mês consecutivo. Foram movimentadas 1,23 milhão de toneladas, num incremento de 48% em relação ao mesmo mês de 2010. “Isso indica que vamos fechar o ano acima dos 11 milhões de toneladas”, comemorou.


Estaleiro demite 1,1 mil

Mais cortes de trabalhadores no Estaleiro Atlântico Sul S/A, localizado no Complexo Industrial Portuário de Suape. Ontem foram desligados 400 operários, totalizando 1,1 mil demissões em um mês. Atualmente o estaleiro emprega cerca de 10 mil pessoas, somando os postos diretos e indiretos. O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal-PE) pretende definir uma estratégia de enfrentamento das demissões. Em nota, a direção da empresa informou que o EAS mantém uma rotina de admissões e desmobilizações como qualquer outra planta naval de grande porte.


De acordo com Hélcio Pereira da Silva, secretário geral do Sindmetal-PE, foram desligados do estaleiro, na primeira fase, 700 empregados. Agora são mais 400. “O estaleiro não informou o motivo dos cortes. Os demitidos estão procurando o sindicato para fazer as suas homologações. As indenizações estão sendo pagas.” Segundo o sindicalista, há informações dos trabalhadores da planta de que haverá mais cortes de mão de obra nos projetos do estaleiro.


Em nota de esclarecimento, o EAS informa que a situação na empresa é de absoluta normalidade operacional e contratual. Acrescenta que a empresa tem em carteira 22 navios petroleiros do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro, um casco de plataforma semissubmersível da Petrobras e sete navios sondas da Sete BR. De acordo com a nota, as encomendas somam US$ 8,1 bilhões e garantem solidez ao negócio. A previsão do EAS é que o petroleiro Suezmax João Cândido e o casco da plataforma P-55 sejam entregues em dezembro.


Porto do Recife entre as prioridades nacionais
Terminal de Passageiros terá nova estrutura, orçada em R$ 25,7 milhões, para receber até três transatlânticos



Armazém 7, no Bairro do Recife, ganhará um prédio extra e um mezanino. Imagem: ANNACLARICEALMEIDA/DP/D.A PRESS

O Terminal Marítimo de Passageiros do Recife vai mudar de cara. Mas ao invés de tirar, a “plástica” vai acrescentar. Ao custo de R$ 25,7 milhões, o terminal instalado no armazém 7 do porto vai ganhar um mezanino e um prédio “extra” de 900 metros quadrados. A ordem de serviço para a execução das obras foi assinada ontem pelo governador Eduardo Campos e pelo ministro dos Portos, Leônidas Cristino.


A ampliação do terminal entrou no conjunto das obras prioritárias para a Copa do Mundo de 2014. O objetivo é deixar o local parecido com um terminal de aeroporto, com capacidade para receber simultaneamente três navios de passageiros, gerando até 10 mil leitos extras. Mas a meta é terminar os trabalhos no máximo em fevereiro de 2013, para o espaço ser usado já na Copa das Confederações.


Do total de R$ 25,7 milhões, R$ 21,76 milhões virão de um convênio com a Secretaria Especial dos Portos e R$ 3,96 milhões sairão dos cofres do governo do estado. O prédio extra, batizado de Sala Pernambuco, será construído primeiro e terá três pavimentos. O térreo será um estacionamento coberto com 30 vagas. O primeiro andar terá os serviços de check-in, além de um espaço para exposições.


No pavimento superior estarão as salas dos órgãos federais e de segurança, como a Receita Federal e a Anvisa, e a administração. Deste último pavimento sairá uma passarela em direção ao terminal do armazém 7. Somente após a construção da Sala Pernambuco é que o armazém será reformado, para não atrapalhar a temporada de cruzeiros, iniciada no fim do mês passado.


O novo mezanino contará com espaço de lazer, lojas e praça de alimentação. “Somente quem for embarcar vai descer para a sala”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio. O ministro Leônidas Cristino aproveitou o tema Copa do Mundo para destacar que as obras no Porto do Recife são “o pontapé inicial” da reforma/construção de sete terminais no país.


Além do terminal do porto da capital pernambucana, Manaus, Fortaleza, Natal, Salvador, Rio de Janeiro e Santos também receberão melhorias para a Copa. O secretário Geraldo Júlio comentou também que o governo do estado está negociando com o governo federal as obras de recuperação de 500 metros dos cais 6, 7 e 8, orçadas em R$ 60 milhões.


“Estamos negociando com a Secretaria de Portos a divisão dos recursos. Já temos R$ 28 milhões no OGU (Orçamento Geral da União).” Segundo Geraldo Júlio, a obra é imprescindível para que os três transatlânticos possam ficar atracados um ao lado do outro. Senão, dependendo dos tamanhos, o segundo e o terceiro navios ficarão mais distantes do terminal.

Noticias de Pernambuco

Notícias do dia
07/11/2011





Portos e Navios
07/11/2011



Tegma monta novas bases de operação em SUAPE e Itu








Para se posicionar no mercado do Nordeste, em franca expansão, e reforçar sua presença no mercado paulista, a Tegma Gestão Logística toca planos de investimentos em torno de R$ 60 milhões para implantação de dois novos complexos logísticos. Os alvos são os setores de transporte de veículos, especialização da empresa, e o de bens de consumo, no qual almeja crescer nos próximos anos após a aquisição no início deste ano da Direct, especializada em varejo online.



No Nordeste, a empresa adquiriu recentemente uma área próximo ao complexo portuário de Suape. No local, a empresa planeja instalar uma base operacional composta com armazéns. "Pernambuco é hoje um polo de desenvolvimento importante, que vai ganhar projeção ainda mais com a ida da Fiat para lá, com instalação de uma fábrica de automóveis", afirma Gennaro Oddone, presidente da empresa.



Em setembro, a Tegma assinou com o governo pernambucano um protocolo de intenção de investimento na região de Suape. Com isso, adquiriu uma área de 25 hectares no município de Cabo de Santo Agostinho por R$ 7,9 milhões. A previsão é que essa base de operação fique pronta no começo de 2013. "Essa unidade, com localização estratégica para atender o Nordeste, nos abrirá um leque de oportunidades de negócios", diz.



No interior de São Paulo, em Itu, a empresa comprou uma área ainda maior, de 48 hectares, por R$ 12 milhões. Oddone informou que as atividades no local começaram parcialmente já em 2012, inicialmente com operações de armazenagem de veículos. Em uma segunda fase, essa base vai operar também com distribuição de bens de consumo.



"Nessa região, vai se formar um novo polo logístico para atender a indústria automotiva e o setor de bens de consumo", destaca Oddone, lembrando que Sorocaba vai receber a nova fábrica da Toyota, que já opera em Indaiatuba. A Honda está instalada em Sumaré e um pouco mais distante, em Piracicaba, a sul-coreana Hyundai está também montando sua unidade.



Atualmente, a Tegma tem mais de 60 bases operacionais espalhadas pelo Brasil, com destaque para São Paulo (São Bernardo do Campo, Bauru e Vale do Paraíba), Espírito Santo, Gravataí (RS), São José dos Pinhais (PR), Rio de Janeiro, Betim (MG), Camaçari (BA) e Manaus (AM).



Com 4,4 mil funcionários, a empresa obteve receita bruta de R$ 847 milhões no primeiro semestre (aumento de 28% sobre mesmo período de 2010). Em todo o ano passado, a Tegma faturou R$ 1,16 bilhão, sua maior receita desde a fundação. Obteve lucro líquido de R$ 112 milhões.



A empresa informa que é líder no mercado brasileiro no transporte de veículos zero Km, no qual deteria 33% de participação. Em atividade há 12 anos, informa que em 2010 transportou 1,2 milhão de veículos novos.



Com o projeto de Suape, busca garantir a liderança do setor automotivo (veículos e autopeças), que atualmente representa 70% do faturamento da companhia. Nesse local, segunda informa, a Tegma vai estrear como operadora logística em zona primária, ou seja, em área de portos e aeroportos.



O segmento de bens de consumo, com a aquisição da Direct, por R$ 77 milhões, passou a responder por 20%. Produtos industriais ficam os 10% restantes.



Ministro assina obras em Pernambuco e participa do aniversário de SUAPE






O Ministro dos Portos, Leônidas Cristino, estará hoje, segunda-feira (07/11), em Pernambuco, e juntamente com o Governador Eduardo Campos, dará a ordem de serviço para o início de duas obras portuárias importantes para o Estado: a dragagem de aprofundamento do Canal Externo do Porto de Suape e o Terminal de Passageiros do Porto do Recife. As obras são investimentos da Secretaria de Portos (SEP), por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e serão autorizadas pelo Ministro em uma data bastante importante para um dos portos, o aniversário do Porto de Suape.



Pela manhã, às 10h, durante o evento de comemoração ao aniversário de 33 anos do Complexo Industrial de Suape, no próprio porto, Leônidas Cristino irá anunciar o início das obras para a dragagem de aprofundamento do Canal Externo e Derrocagem. Estas obras, que a SEP já vem realizando em quase todos os portos públicos, possibilitam a operação e a entrada de grandes embarcações. No caso de Suape, que ficará com a profundidade de -20 metros, qualquer tipo de navio poderá operar por lá, inclusive os grandes petroleiros.



A obra está orçada em R$ 275 milhões, sendo que R$ 78 milhões participação do Governo Federal e R$ 197 do Porto de Suape. O equipamento da empresa VAN OORD, vencedora do processo licitatório já se encontra no local.



Por volta das 11h30 será a vez do Porto do Recife receber a presença do Ministro e do Governador, para mais um ato de assinatura: o Terminal de Passageiros que será construído exclusivamente para a demanda da Copa do Mundo de 2014. A obra compreende a reforma do armazém 07 para a construção da Sala Pernambuco. O valor da obra é de aproximadamente R$ 25 milhões. Serão em média 14 meses de execução para que o terminal esteja pronto até o início de 2013.



Paralelamente, o Governo de Pernambuco irá reformar e ampliar 500 metros de cais para melhor acomodar os transatlânticos que chegam ao Porto do Recife. Inicialmente, serão investidos R$ 60 milhões para reparar 256 metros, referente ao cais 07 e 08, que ficam em frente aos armazéns 07 e 08. Com isso, o Porto poderá receber até três navios de passageiros ao mesmo tempo. O que aumentará a oferta de leitos na cidade durante a Copa em quase 10 mil leitos.



Os dois eventos contarão com a presença do Presidente do Porto de Suape, Geraldo Júlio e do Presidente do Porto do Recife, Pedro Mendes, além de demais autoridades.



Sobre o Aniversário de Suape - Em 7 de novembro de 1978, através da Lei Estadual nº. 7.763, criou-se a empresa SUAPE – Complexo Industrial Portuário, com a finalidade de administrar a implantação do distrito industrial, o desenvolvimento das obras e as atividades portuárias. Atualmente, Suape é o maior polo de investimentos do país e a locomotiva do desenvolvimento de Pernambuco.



Já são mais de 100 empresas em operação, gerando mais de 25 mil empregos e outras 50 em implantação. Além disso, Suape é um dos portos estratégicos para o Norte e Nordeste e um dos que mais cresce no país. Entre janeiro e setembro de 2011, passaram por Suape 7.910.973 toneladas de cargas, 23% a mais que o mesmo período de 2010. A movimentação de contêineres também cresceu, chegando a uma evolução de 36%.



Os investimentos privados em implantação no Complexo são da ordem US$ 21 bilhões e os investimentos públicos em infraestrutura atingirão US$ 2,5 bilhões, até 2014. Suape possui uma área de 13.500 hectares que está distribuída em zonas Portuária, Industrial, Administrativa e Serviços, de Preservação Ecológica e de Preservação Cultural.




Blog Ne10
Pernambuco Investimento
07/11/2011

Grupo EBX pode investir em Pernambuco



Nesta quinta-feira (3), o empresário do Grupo EBX, Eike Batista, esteve em conversa com o governador Eduardo Campos para falar sobre investimentos em Pernambuco. O Grupo EBX reúne 12 empresas dos segmentos como infraestrutura – com atuação em logística e geração de energia -, recursos naturais – mineração, exploração de petróleo e gás -, segmento imobiliário e de entretenimento. Entre os assuntos da pauta, esteve o Porto de Suape.






“A reunião foi bastante positiva. O Grupo EBX atua em setores considerados estratégicos dentro do projeto Suape Global como o de petróleo, gás e o off shore. Além disto, a REX (empresa do grupo voltada para projetos imobiliários) estuda a ampliação dos seus negócios e Pernambuco é uma de suas boas alternativas”, afirmou o governador Eduardo Campos.
No próximo dia 21, haverá uma reunião técnica entre as equipes do Governo e do Grupo EBX na sede da empresa, no Rio de Janeiro.

Pernambuco em Desenvolvimento

Notícias do dia
04/11/2011



Jornal do Commercio
Economia
04/11/2011


Criada área de governo para a Fiat

O governo do Estado criou uma estrutura de governo só para cuidar da implantação da Fiat em Goiana. Subordinada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC), a mais importante da área econômica do governo pernambucano, nasce a Secretaria Executiva de Projetos Especiais, que, apesar do nome, surgiu para tratar da articulação e execução de ações ligadas à instalação da montadora italiana no Estado. A Fiat implantará no Litoral Norte uma fábrica de R$ 4 bilhões, com 4.500 empregos diretos e produção entre 200 mil e 250 mil veículos por ano.

A primeira ação transferida para a nova estrutura de governo foi a terraplenagem da Fiat. A obra é uma contrapartida estadual para a vinda do projeto. A terraplenagem de 440 hectares custará R$ 82 milhões e ficará a cargo da Construcap. O contrato deve ser assinado semana que vem e as obras ainda aguardam o licenciamento. A expectativa é que elas tenham início até o mês que vem.

A previsão de entrega da terraplenagem é até 31 de março. Em maio começa propriamente o período chuvoso. Mas, com a terraplenagem pronta, as obras civis, das fundações, podem acontecer mesmo com as chuvas, comenta o secretário executivo de Projetos Especiais, João Guilherme Ferraz.

Ele foi deslocado da diretoria jurídica do Complexo Industrial Portuário de SUAPE para o novo cargo. A secretaria executiva, ao todo, tem um corpo de nove cargos novos com funções de engenharia, comissão de licitação e administrativa.

Apesar da estrutura enxuta, a simples criação de uma secretaria executiva, a princípio, para a Fiat demonstra o tratamento diferenciado com o projeto. Megaobras como a ferrovia Transnordestina e outros grandes projetos, além de assuntos institucionais de toda ordem, dividem, na SDEC, as secretarias executivas de Projetos Estruturadores e de Gestão do Desenvolvimento.

João Guilherme diz que o governador Eduardo Campos e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, podem determinar a inclusão de novos projetos na secretaria executiva. Mas admite que, por enquanto, sua tarefa é a implantação da Fiat, o que não significa uma missão simples.

De uma forma geral, a montadora pode atrair mais de 60 fornecedores e terá um grande impacto social e urbanístico na região. Temos toda uma agenda programada, de contatos entre Estado e a Fiat, entre áreas diferentes de governo, como a Secretaria de Trabalho e Emprego, e a prefeitura. Temos agora que trabalhar na capacitação para as obras civis da Fiat, que terão início até maio, afirma João Guilherme.

Segundo a Prefeitura de Goiana, as obras civis da Fiat mobilizarão até 7 mil trabalhadores no ano que vem.




Folha de Pernambuco
Economia
04/11/2011


EBX está de olho em SUAPE

O Grupo EBX, controlado pelo empresário Eike batista, poderá investir no Porto de Suape. O governador Eduardo Campos reuniu-se com Eike para tratar de uma série de possibilidades de investimentos em Pernambuco. O Grupo EBX reúne 12 empresas que atuam nos mais variados segmentos, como na área de infraestrutura (logística, geração de energia), recursos naturais (mineração, exploração de petróleo e gás), além dos segmentos imobiliário, de entretenimento, entre outros.



Durante mais de uma hora, Eduardo e Eike conversaram sobre possíveis oportunidades no Complexo Industrial Portuário de Suape. Eles voltam a se encontrar na sede do Grupo EBX no próximo dia 21, quando haverá uma grande reunião técnica entre as equipes do Governo do Estado e da holding carioca na sede da empresa, no Bairro do Flamengo.



“A reunião foi bastante positiva. O Grupo EBX atua em setores considerados estratégicos dentro do projeto Suape Global, como o de petróleo, gás e off shore. Além disto, a REX (empresa do grupo voltada para projetos imobiliários) estuda a ampliação dos seus negócios e Pernambuco é uma de suas boas alternativas”, disse o governador após a reunião.



Diário de Pernambuco
Diário econômico
04/11/2011


Eike Batista sonda investimentos no Complexo de SUAPE

O governador Eduardo Campos reuniu-se hoje com o empresário Eike Batista para tratar de uma série de possibilidades de investimentos em Pernambuco. O Grupo EBX, controlado por Eike, reúne 12 empresas que atuam nos mais variados segmentos, como infraestrutura (logística, geração de energia), recursos naturais (mineração, exploração de petróleo e gás), mercado imobiliário, de entretenimento e outros.


A conversa dos dois girou em torno das possíveis oportunidades no Porto de SUAPE. O governador e o executivo voltam a se encontrar na sede do Grupo EBX no próximo dia 21, quando haverá uma reunião técnica entre as equipes do governo do estado e da holding carioca na sede da empresa, no bairro do Flamengo, zona sul do Rio.


"A reunião foi bastante positiva. O Grupo EBX atua em setores considerados estratégicos dentro do projeto SUAPE Global, como o de petróleo, gás e offshore. Além disso, a REX (empresa do grupo voltada para projetos imobiliários) estuda a ampliação dos seus negócios e Pernambuco é uma de suas alternativas", disse o governador em nota, após a reunião.




Blog Ne10
Pernambuco Investimento
04/11/2011

Indústria israelense de irrigação investirá R$ 10 mi no Cabo



A empresa israelense Netafim, referência no setor de tecnologia de irrigação, vai investir R$ 10 milhões na implantação de uma fábrica em Cabo de Santo Agostinho (PE). Os detalhes foram acertados durante encontro, nesta terça-feira (1º), do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, com o CEO Igal Aisenberg, na sede da empresa em Israel.



“Esta nova unidade atenderá a demanda de crescimento da irrigação, principalmente no Nordeste. Além de tubos gotejadores, produziremos nossos microaspersores”, explica Daniel Neves, presidente da Netafim Brasil.



A ideia é atender tanto o mercado externo com o interno. “É uma localização estratégica para nosso negócio, principalmente devido ao Porto de Suape, que traz proximidade ao mundo e reduz nosso tempo no porto”, acrescenta Neves.



A Netafim é líder global em gotejamento inteligente e soluções de microirrigação. Foi a primeira a introduzir o gotejamento, em 1965. Informações sobre número de empregos gerados, localização da planta industrial e incentivos não foram detalhados.



A vinda da Netafim para Pernambuco também está de olho nos investimentos que devem ser feitos em irrigação pelo governo federal, que deve anunciar um amplo programa que visa implantar 200 mil hectares de perímetros irrigados no semiárido brasileiro.

Noticias de Pernambuco

Notícias do dia
03/11/2011



Jornal do Commercio
Economia
03/11/2011


Grupo israelense investe no Cabo



DESENVOLVIMENTO A Netafim, especializada em tecnologia de irrigação, anunciou investimento de R$ 10 milhões na fábrica do Estado
A multinacional israelense Netafim, especializada em tecnologia de irrigação, anunciou um investimento de R$ 10 milhões em uma fábrica na cidade do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. A unidade vai produzir estruturas conhecidas tecnicamente como tubos gotejadores e microaspiradores. O objetivo é suprir o mercado interno do Brasil com foco no Nordeste e também o mercado externo. Pesou na decisão a localização estratégica de Pernambuco na região e o Porto de Suape, que servirá como porta de saída de produtos acabados e de entrada para insumos e matérias-primas.


Informações como número de empregos gerados, localização da planta e incentivos ainda não foram detalhados. A decisão de instalar o empreendimento em Pernambuco foi tomada na última terça-feira pelo CEO do grupo Netafim, Igal Aisenberg. O anúncio foi feito ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, que atuou como intermediário nas negociações.



A empresa enxerga potencial de crescimento no Brasil, especialmente depois que o governo federal, através do Ministério da Integração Nacional, começou a analisar o lançamento de investimentos no setor de irrigação, especialmente no semiárido brasileiro. Já se fala, inclusive, em PAC da Irrigação para o programa que visa implantar cerca de 200 mil hectares (ha) de perímetros irrigados com tecnologia de ponta, visando reduzir ao máximo o uso de água.



A visita do ministro à Israel, nesta semana, tinha justamente como objetivo trocar experiências com aquele país, referência na área de infraestrutura hídrica.



A Netafim, por exemplo, atua desde 1965 e criou o sistema de irrigação conhecido como gotejamento, que otimiza a utilização de água no processo (uma redução de 40%, em média). Ao longo dos anos se tornou a líder no mercado em projetos de micro-irrigação, com 31% de participação. O grupo possui investimento contratado no Nordeste, como a instalação de sistemas no perímetro irrigado de Mandacaru, na Bahia.



Atualmente, a Netafim possui 13 fábricas espalhadas por cinco continentes, empregando cerca de 2.400 pessoas. Detém ainda 31 empresas subsidiárias e um sistema de distribuição que alcança 110 países. Em 2010, o faturamento foi de US$ 604 milhões (cerca de R$ 1 bilhão, de acordo com a cotação do dólar de ontem). A receita bruta apresentou crescimento pelo segundo ano consecutivo, após a empresa ter passado por um período de queda nas vendas nos anos de 2007 e 2008.



Além do Brasil, a empresa tem mirado outros mercados emergentes mundiais como China e Vietnã. O grupo também atua no ramo de instalação de estufas e em projetos de bioenergia. Ontem, a Netafim anunciou a venda de parte de suas ações, por US$ 870 milhões, ao fundo de investimento Permira, que possui capital europeu e asiático.




Folha de Pernambuco
Economia
03/11/2011


Algodão pernambucano



A Secretaria de Agricultura do Estado irá ampliar o programa de revitalização da cultura do algodão. Tudo para que o Estado volte a ser líder na produção de algodão. E a preocupação faz sentido. Hoje, este é um mercado promissor. Apenas o polo têxtil de Suape consome em torno de 40 toneladas do produto por ano. E este mercado está sendo adquirido na Bahia. Ou seja, temos potencial e demanda, falta o produto. Ou melhor, faltava. A Secretaria de Agricultura estadual distribuiu, no início do ano, oito toneladas de sementes junto aos agricultores de base familiar do município de Surubim, no Agreste Setentrional. As sementes plantadas compõem uma nova variedade resistente a pragas. E as primeiras colheitas começam a ser realizadas amanhã. Com o resultado, o que se espera é dar garantias que podemos atender a demanda estadual e, o que é melhor, com um custo até 30% mais em conta. É só o começo. Segundo o secretário de Agricultura do Estado, Ranílson Ramos, no próximo ano, o projeto irá contemplar cinco mil hectares de plantação, beneficiando 20 municípios. O investimento no projeto ultrapassará a marca de R$ 5 milhões. Se continuarmos neste ritmo, em alguns anos, Pernambuco pode recuperar o posto perdido há 20 anos: o de grande produtor de algodão.



Diário de Pernambuco
Diário econômico
03/11/2011

Gravatá quer pólo industrial
Município do Agreste formalizou pedido de criação do distrito à AD Diper. Área deve sediar até 30 empresas



Geraldo Júlio recebeu o pleito de instalação de um distrito industrial em Gravatá. Imagem: RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS - 22/12/09
Conhecido por sua natureza e seu clima ameno, o município de Gravatá, no Agreste, quer investir forte na industrialização. O prefeito O zano Brito teve na última segunda-feira uma audiência com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, e pediu apoio na implantação de um distrito industrial na cidade. O prefeito avisa que qualquer empresa será bem-vinda, desde que tenha responsabilidade ambiental. Do contrário, o turismo poderá sair prejudicado.


Ficou acertado que as equipes da prefeitura e do governo do estado vão trabalhar juntas na identificação de uma área a ser desapropriada para a criação do DI. “Até a semana que vem devemos ter duas ou três áreas identificadas para apresentar ao governo do estado”, afirma o secretário municipal de Indústria e Comércio, Arnaldo Souza. Está sendo procurada uma área em torno de 100 hectares, que possa abrigar entre 20 e 30 empresas de pequeno, médio e grande porte.


Além disso, diz Arnaldo, a ideia é relocar as fábricas que hoje funcionam no centro de Gravatá. “Temos indústrias de pequeno porte em segmentos como plástico, confecção, metais e móveis, algumas funcionando há mais de 50 anos. Isso também prejudica o turismo. Queremos relocá-las para essa nova área, que de preferência deve estar distante uns dez quilômetros do centro”, completa.


O secretário também garante que Gravatá tem plenas condições de atender às empresas que futuramente venham se instalar no município, seja em relação a incentivos ou mão de obra. De preferência, aquelas pertencentes a segmentos não poluentes, como o de tecnologia da informação e comunicação (TIC).


“O DI é uma demanda da população de Gravatá. Já tivemos aqui uma empresa que queria montar computadores e ia empregar cerca de 150 pessoas, mas que foi embora porque não tínhamos área disponível”, conta Arnaldo Souza. A prefeitura pretende iniciar a implantação do DI já a partir de 2012.


A Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), que cuida da implantação e administração dos DIs estaduais, informa que ainda não recebeu formalmente a demanda de Gravatá, mas que está à disposição caso fique comprovada a viabilidade técnico-financeira do novo distrito.


A AD Diper administra atualmente dez distritos: Cabo de Santo Agostinho, dois em Jaboatão dos Guararapes, Recife, Paulista, Abreu e Lima, Itapissuma, Garanhuns, Petrolina e Araripina. Sete novos DIs estão sendo estruturados, em Arcoverde, Brejão, Glória do Goitá, Ribeirão, Serra Talhada, Sirinhaém e Vitória de Santo Antão. A agência calcula que eles exigirão investimentos de até R$ 1,5 milhão, somente em terraplenagem e implantação do sistema viário.



Blog Ne10
Pernambuco Investimento
03/11/2011

“O Porto de SUAPE foi condição fundamental para a economia pernambucana”, Valdeci Monteiro



O economista e sócio da Consultoria em Planejamento (Ceplan), Valdeci Monteiro, destaca SUAPE como peça fundamental para o bom momento vivido pelo Estado:



“Uma conjuntura de fatores impulsionou SUAPE. A decisão de trazer a refinaria foi o que incentivou outros empreendimentos a virem para cá, foi o grande marco. Estamos passando por uma mudança radical na estrutura produtiva do Estado, com o Complexo de SUAPE sendo o carro-chefe desse momento, a presença do Porto de Suape foi condição fundamental para que esses empreendimentos deslanchassem na economia pernambucana.”




Atenciosamente,

Noticias de Pernambuco




Notícias do dia
01/11/2011


Folha de Pernambuco
Economia
01/11/2011

Agendamento causa insatisfação

Problemas com o sistema de agendamento para carregamento de cargas no Terminal de Contêineres de Suape (Te­con Suape) levaram o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas do Estado de Pernambuco (Sintracape) a marcar uma assembleia para a próxima sexta-feira. A categoria vai deliberar sobre uma possível paralisação no local na próxima semana. Caso seja aprovada, a suspensão de atividades deve atingir, de acordo a expectativa do presidente do sindicato, Wilton Nery, cerca de 600 pessoas - entre motoristas e autônomos.



A medida é resultado da falta de posicionamento da direção do Tecon em relação ao novo sistema, implantado neste semestre, segundo Nery. “Numa carta que enviamos ao Tecon na semana passada, pedimos uma posição a respeito do agendamento. Esse sistema precisa ser revisto. Desde sua implantação, o faturamento dos transportadores já foi reduzido em 50%”, reclamou. A representação sindical pede mais investimento em máquinas e em funcionários para operá-las, para garantir maior eficiência ao processo. Também são reivindicadas condições de fluidez de operação, continuidade, eficiência e generalidade, como determinam as Resolução nº 55/2002 e nº 2.240/2011, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).



Além disso, Nery acrescentou que o tempo de abertura da “janela”, parte do processo de retirada da carga, é insuficiente para o descarregamento. Ele explicou que, caso o indivíduo perca o horário de abertura, ele terá de fazer outro agendamento, “provavelmente para até três dias depois”. Procurado pela reportagem, o diretor comercial do Tecon Suape, Rodrigo Aguiar, argumentou que a nova ferramenta tem bom funcionamento. Porém, como está em implantação, a operação ainda estaria “sujeita a adequações necessárias para o aprimoramento”. De acordo com Aguiar, o sistema será mantido.


Em busca do tempo perdido



O ressurgimento da indústria naval brasileira deve ser concretizado neste fim de ano. O Estaleiro Atlântico Sul (EAS) informou ontem que o navio João Cândido será entregue à Transpetro (braço logístico da Petrobras) entre o final de novembro e meados de dezembro deste ano. Este será a primeira de uma série de 22 encomendas feitas pela Transpetro. A entrega do João Cândido é esperada a mais de um ano. A princípio, a entrega era para ter sido feita em agosto de 2010, mas o prazo foi estendido para março deste ano e, em seguida, adiado para setembro. Por meio de nota, o EAS informou que o novo atraso foi devido aos movimentos grevistas ocorridos no mês de setembro. “Essa situação impactou fortemente as atividades da empresa, afetando as suas operações e prejudicando a finalização do navio”, destacou a empresa em comunicado. E o EAS quer recuperar o tempo perdido. Mesmo com o atraso na construção do João Cândido, o Estaleiro Atlântico Sul diz que não haverá alteração de cronograma de outros contratos. O casco da plataforma P-55 será entregue agora em novembro. Já o segundo navio do EAS, o Zumbi dos Palmares, deve ser entregue à Transpetro entre julho e agosto de 2012. E este cronograma deve mesmo ser mantido. Outro atraso não faria muito bem para a imagem do estaleiro.



Diário de Pernambuco
Diário econômico
01/11/2011


Tony Gel pede a governador que leve Volkswagen para Caruaru

Ainda falta uma semana para a Volkswagen anunciar a localização de sua próxima fábrica no Brasil, cuja data-limite é 8 de novembro. Mas a possibilidade de o estado abrigar um investimento de US$ 2 bilhões já gera uma disputa entre cidades e políticos pernambucanos. Hoje, o deputado estadual Tony Gel (DEM) fez um apelo ao governador Eduardo Campos para que, caso a montadora decida instalar-se em Pernambuco, que seja em Caruaru.


Ele encaminhou indicação neste sentido à Mesa Diretora da Assembleia, onde ressalta que a cidade possui uma localização estratégica para o escoamento da produção, já que está situada a 130 quilômetros do Recife e a 160 quilômetros do Porto de Suape, com principal acesso pela BR-232 e pela BR-104, que está sendo duplicada.


Nas suas justificativas, o parlamentar diz ainda que, além de ser a cidade mais populosa do interior pernambucano, com uma população superior a 300 mil habitantes, Caruaru “tem recursos humanos suficientes para atender à demanda de uma indústria de grande porte, campi das duas principais universidades do estado (UFPE e UPE), além de instituições de ensino superior privadas, sem contar que possui espaço físico suficiente para a implantação e expansão de grandes empreendimentos”.


Uma reportagem publicada semana passada pelo jornal Valor Econômico dá como certa a instalação em Pernambuco da nova fábrica da multinacional alemã. Segundo a publicação, a unidade teria a capacidade de produzir 200 mil veículos/ano. A localização seria uma área dentro do Complexo Industrial Portuário de Suape.
Oficialmente, seis estados disputam a nova planta. A nova fábrica brasileira teria como carro-chefe o compacto Up!, lançado em setembro.



Blog Ne10
Pernambuco Investimento
01/11/2011

Movimentação no Porto de Suape cresce 29% no último trimestre





O Porto de Suape teve crescimento de movimentação de cargas de 29% entre julho e setembro deste ano comparado ao mesmo período do ano passado. Foram movimentados mais de 3 milhões de toneladas de cargas. Comparado com o terceiro trimestre de 2010, o aumento na movimentação de contêineres foi de 37%. Nesse período Suape operou mais de 117 mil TEUs.



No acumulado do ano, os dados indicam aumento em relação ao ano passado. De janeiro a setembro, passaram por Suape 7.910.973 toneladas de cargas, 23% a mais que o mesmo período de 2010. A movimentação de contêineres também cresceu, chegando a uma evolução de 36%.



Entre os fatores que impulsionam o porto, estão as novas linhas de longo curso Ásia-Suape, que entraram em operação em agosto deste ano. “Em agosto movimentamos, pela primeira vez, mais de um milhão de toneladas e esse ritmo de crescimento vem se mantendo. Os resultados não só ratificam Suape como um importante porto distribuidor de cargas, como reforçam todas as expectativas de fecharmos o ano com aproximadamente 11 milhões de toneladas de movimentação”, comemora o vice-presidente do Complexo, Frederico Amâncio.



“O Porto de Suape foi condição fundamental para a economia pernambucana”, Valdeci Monteiro


O economista e sócio da Consultoria em Planejamento (Ceplan), Valdeci Monteiro, destaca Suape como peça fundamental para o bom momento vivido pelo Estado:

“Uma conjuntura de fatores impulsionou Suape. A decisão de trazer a refinaria foi o que incentivou outros empreendimentos a virem para cá, foi o grande marco. Estamos passando por uma mudança radical na estrutura produtiva do Estado, com o Complexo de Suape sendo o carro-chefe desse momento, a presença do Porto de Suape foi condição fundamental para que esses empreendimentos deslanchassem na economia pernambucana.”


Expectativa de mais de 30 milhões de toneladas em 2013

Com o início da operação de empreendimentos estruturadores que estão sendo constrúidos no Complexo de Suape, como a Refinaria Abreu e Lima, a expectativa é que o Porto de Suape movimente mais de 30 milhões de toneladas em 2013.

Pernambuco em Desenvolvimento


Notícias do dia
28/10/2011

Jornal do Commercio
Economia
28/10/2011

O desafio é criar escala


Por trás da ofensiva do governo de Pernambuco de atrair o projeto da Volkswagen na construção de uma nova planta no Brasil, que neste momento também é disputada por Paraná e Rio Grande do Sul, está a estratégia, já desenvolvida com sucesso no setor naval, de captar, além do projeto âncora, um ou dois outros empreendimentos de forma a criar maior volume de produção, agregando escala ao mercado que está nascendo.



No setor naval, a partir do Atlântico Sul, outros dois projetos estão acertados, o que a médio prazo justifica uma presença regional do setor de navipeças que já começa a se voltar para Suape com mais atenção. O caso da Usiminas, que investe R$ 138 milhões em fábrica de painéis em Suape para atender à demanda do mercado naval com previsão de operação no final de 2012 é emblemático, pois sinalizou ao setor que temos um novo mercado com EAS, Promar e CMO.



No caso da Volkswagem, a lógica se repete no sentido de capturar as autopeças para além das encomendas da Fiat. Duas plantas acabam gerando sinergia com a perspectiva de fazer de Suape plataforma de exportação para outros mercados, inclusive o de reposição. O problema é que assim como Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul têm essa mesma lógica com as plantas ali já instaladas.



Oferta de incentivo fiscal via BNB



Embora haja um discreto otimismo da equipe do governo quanto ao projeto da Volkswagen, ela sente o jogo pesado numa negociação desse porte. Mas Pernambuco, ou melhor, o Nordeste tem ferramentas que nos dariam uma pequena vantagem: oferta de incentivo fiscal via Banco do Nordeste (através do FNE) e Sudene (através do FNDE) reduzindo os custos financeiros da unidade. Não é muito, pois pelo porte da tomadora, o BNDES pode suprir a demanda da nova empresa diluída em três agentes de crédito: BNDES, Sudene e BNB.



Indústria

Jornal informa que Volkswagen vai instalar fábrica em Pernambuco
Matéria publicada no Valor Econômico de hoje informa que a empresa vai anunciar a decisão em alguns dias. Procurada, direção não confirmou informação

Matéria publicada hoje pelo jornal Valor Econômico informa que a montadora alemã Volkswagen deverá anunciar em alguns dias a sua decisão de instalar uma nova fábrica no Estado de Pernambuco.Segundo o texto, o "governo de Pernambuco e a Volkswagen acertam os últimos detalhes para a instalação da primeira fábrica da montadora alemã na Região Nordeste".

O investimento seria de US$ 2 bilhões e será erguido no município do Cabo de Santo Agostinho. O local seria o mesmo que receberia a fábrica da Fiat, mas posteriormente foi confirmada em outra área no município de Goiana.

O Jornal do Commercio procurou a empresa, que não confirmou a informação. "

O JC vem acompanhando o assunto. No último dia 12 de outubro , a editoria de Economia publicou uma matéria dizendo que e a escolha do Estado que receberá uma nova fábrica da Volkswagen no Brasil será pautada pelos benefícios fiscais oferecidos pelos governos e pela cadeia de fornecedores existente nos locais. A afirmação foi dada em entrevista o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, que naquela semana havia jantado com o governador Eduardo Campos, no Palácio do Campo das Princesas.

A matéria também adiantava que o interesse da indústria é instalar uma planta de produção do novo veículo popular da empresa, o UP!, apresentado no Salão de Frankfurt, em setembro.

No primeiro quesito, Pernambuco conta, desde 2008, com o Programa de Desenvolvimento do Setor Automotivo, que garante crédito presumido de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 95% para as empresas do setor. Além disso, as importações de equipamentos, máquinas e insumos também terão a cobrança do tributo adiada para o momento da venda do carro.

Já no segundo ponto da disputa, o Estado vive um desenvolvimento embrionário da cadeia, que virá a reboque do Complexo da Fiat de R$ 4 bilhões, a ser instalado em Goiana, na Mata Norte.

Nos últimos anos, a disputa para abrigar projetos industriais ou logísticos do setor automotivo tem sido um objetivo fixo do governo pernambucano. Antes de ser confirmado o investimento da Fiat, o Estado brigou por uma planta das chinesas Chery e JAC, apresentou suas potencialidades para a Hyundai, e foi cogitado como possível destino de uma unidade da BMW.




Diário de Pernambuco
Diário econômico
28/10/2011

Tecnologia do tipo exportação
Empresários do estado podem ter oportunidade de ingressar no mercado chinês, mas precisam conhecer o país asiático

Pequim (China) – Pernambuco pode ter um grande parceiro comercial no setor de tecnologia. Os interessados nessa conversa são os chineses, que, aliás, estão atentos ao Brasil em relação a diversos setores, como indústria manufatureira, agronegócios e confecção de alta qualidade. E isso Pernambuco tem. O que falta? Conhecimento em relação ao país asiático. É preciso entender o mercado chinês para identificar as oportunidades de investimento.


O grupo de empresários e políticos que integram a Missão Empresarial da Fecomércio-PE foi recebido ontem pelo embaixador do Brasil em Pequim, capital chinesa, Clodoaldo Hugueney, que relatou o histórico da economia do país e explanou sobre as potencialidades da China, identificando áreas de interesse para importação. “Cerca de 85% das exportações do Brasil para a China são minério de ferro, soja e petróleo. Mas este cenário está mudando. Os investimentos dos chineses hoje estão no setor industrial. Cresce a área de ciência e tecnologia, com espaço para programas de cooperação”, revela o embaixador, afirmando que a China deve investir em tecnologia para sustentar o ritmo acelerado de crescimento do país.


Neste aspecto, o Brasil se mostra como forte candidato a parceiro comercial. O país cresceu, gerando possibilidades de internacionalização de parcerias em vários setores da economia. Um deles é o de tecnologia da informação. Paulo Cunha, diretor, e Edson Carvalho, coordenador de mestrado do Centro de Informática da UFPE (Cin), concordam que as duas nações vivenciam momento semelhante na perspectiva de criarem novas TICs de propriedade intelectual própria para ganhar mercados internacionais. O faturamento do mercado mundial deste setor é de US$ 1,5 trilhão. Este ano, o mesmo mercado na China estima faturar US$ 103,6 bilhões, enquanto no mercado brasileiro a expectativa de faturamento é de US$ 47,8 bilhões.


A parceria é pertinente, uma vez que a China conta com um avançado setor de microeletrônica, enquanto o Brasil fica no desenvolvimento de software. Este ano, a balança comercial do Brasil do setor de TIC deve apresentar um déficit de R$ 19 bilhões, com a importação de semicondutores, componentes e dispositivos eletrônicos. “Uma parceria com os chineses reduziria este déficit com transferência de tecnologia para a criação de uma indústria nacional de semicondutores”, constatou Cunha. De acordo com Hugueney, o Brasil tem muito a oferecer quando o assunto é tecnologia.






Blog Ne10
Pernambuco Investimento
28/10/2011



PE terá mais R$ 2,7 bilhões para obras de saneamento e habitacional de SUAPE


Nesta quinta-feira (27), o Governo Federal autorizou que Pernambuco tome empréstimo de cerca de R$ 2,5 bilhões para projetos de saneamento ambiental da Bacia de Ipojuca, projeto habitacional de Suape e o Saneamento para Todos.



A autorização se deu com a assinatura de termo de entendimento para a ampliação de crédito fiscal, que faz parte do Programa de Reestruturação e Ajuste Fiscal dos estados para o período 2011-2013. Nesse primeiro momento, dez estados terão ampliação de crédito para investimentos – Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rondônia e Sergipe – num total de R$ 15.705.323. Esses estados são os primeiros a serem beneficiados com a medida, por estarem com os processos mais adiantados.



O governador Eduardo Campos acredita que as obras serão aceleradas com esse empréstimo. “O Brasil toma medidas para garantir o nível de investimentos.” O governador encontrou a presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira, em Brasília.



Confira abaixo como será a divisão de recursos para o Estado:


Noticias de Pernambuco

Notícias do dia
26/10/2011




Jornal do Commercio
Economia
26/10/2011


Carga
Movimentação do Porto de SUAPE cresce 29% no trimestre
Foram movimentadas mais de três milhões de toneladas de carga

Mesmo com a crise econômica enfrentada pela Europa e Estados Unidos, o ritmo de crescimento do Porto de Suape continua acelerado, com números ainda maiores que os do ano passado. Neste último trimestre (julho-setembro), a movimentação portuária obteve um incremento de 29%, em relação ao mesmo período do ano anterior, movimentando mais de três milhões de toneladas de carga. Ainda comparando com o terceiro trimestre de 2010, o aumento na movimentação de contêineres foi de 37%. Nesse período Suape operou mais de 117 mil TEUs.

O Porto cresce mais que a economia de Pernambuco, consolidando-se como um dos grandes portos do Brasil. No acumulado do ano, os dados indicam um considerável aumento com relação ao ano passado. De janeiro a setembro, passaram por Suape 7.910.973 toneladas de cargas, 23% a mais que o mesmo período de 2010. A movimentação de contêineres também cresceu, chegando a uma evolução de 36%.

O impacto das novas linhas de longo curso Ásia-Suape, que entraram em operação em agosto, já é sentido pelo Porto de Suape. "Em agosto movimentamos, pela primeira vez, mais de um milhão de toneladas e esse ritmo de crescimento vem se mantendo. Os resultados não só ratificam Suape como um importante porto distribuidor de cargas, como reforçam todas as expectativas de fecharmos o ano com aproximadamente 11 milhões de toneladas de movimentação", comemora o vice-presidente do Complexo, Frederico Amancio. Com o início da operação de grandes empreendimentos estruturadores, como a Refinaria Abreu e Lima, a expectativa é que Suape movimente mais de 30 milhões de toneladas em 2013.



Diário de Pernambuco
Diário econômico
26/10/2011

Estado pode fabricar caminhão
Chinesa Shacman analisa propostas para instalar-se no país. Centro de distribuição funcionará no Recife



Operação de distribuição para todo o território brasileiro será feita através do Porto do Recife.

São Paulo - Pernambuco é forte candidato a receber mais uma fábrica voltada para o setor automotivo. Desta vez, no segmento de caminhões. A chinesa Shacman estuda propostas para instalar sua unidade fabril no país e o estado desponta como um dos favoritos. Nas próximas duas semanas, um grupo de executivos chineses da marca vai visitar alguns estados brasileiros para bater o martelo quanto ao local. Pernambuco faz parte do roteiro.


Informações de bastidores dão conta de que um terreno já foi oferecido para a construção da fábrica. Apesar de não confirmar a vinda da planta para Pernambuco, o estado larga na frente em relação à preferência da marca no território nacional. O centro de distribuição da Shacman no Brasil será instalado no Recife.


A operação de distribuição para todo o território brasileiro será feita através do Porto do Recife. O primeiro lote com 100 caminhões deve desembarcar no dia 15 de dezembro e as vendas dos produtos terão início em janeiro. “Atualmente, todo mundo tem operado por Suape e o Porto do Recife ficou mais disponível, com custo mais vantajoso”, explica o diretor comercial, João Capussi.


Quanto à fábrica, a expectativa é que ela entrasse em operação de três a quatro anos depois da Shacman chegar ao Brasil. “O processo será acelerado por conta da decisão do governo federal em dar desconto de 30% no IPI para quem opera no país”, revela Capussi. Além dos estados brasileiros, o roteiro dos executivos chineses também inclui o Uruguai. “Mas a preferência é pelo Brasil, porque 99% dos brasileiros gostam mais dos produtos locais. Só que não podemos descartar possibilidade alguma”, destaca o diretor. Além disso, o mercado nacional, em amplo crescimento, é visto com bons olhos pelos chineses.


“O Brasil está entre os quatro principais mercados do mundo. Apesar de ainda sermos desconhecidos no país, a expectativa é vender inicialmente 100 caminhões por mês e alcançar 3% de participação no mercado nacional em dois anos”, projeta o diretor comercial da empresa.


Suape cresce


O Porto de Suape continua crescendo apesar da crise global. No último trimestre (julho-setembro), a movimentação portuária cresceu 29%, em relação ao mesmo período de 2010, movimentando mais de 3 milhões de toneladas de carga. No mesmo período, o aumento na movimentação de contêineres foi de 37%.